Informativo Fecomércio

Setembro
LGPD é sancionada e entra em vigor a partir desta sexta (18)
18/09/2020

O presidente Jair Bolsonaro sancionou na quinta-feira (17) a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), após uma série de alterações no texto e reviravoltas na Câmara e Senado. A partir desta sexta-feira (18), empresas e órgãos públicos que atuam com a manipulação de dados em qualquer nível e volume deverão seguir os princípios e regras previstas na lei.

As multas e penalidades só serão aplicadas a partir de agosto de 2021. Os valores previstos para o descumprimento variam de 2% do faturamento bruto até R$ 50 milhões, por infração.

Conforme pesquisa inédita da Fecomércio SC, quase 60% dos catarinenses nunca ouviram falar da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e apenas quatro em cada dez empresas B2C- possivelmente as mais afetadas pela lei por tratarem no dia a dia com dados pessoais- têm política de privacidade nos sites e aplicativos.

Nesta segunda-feira (21), às 10h, a Fecomércio SC promove live com a participação de Thomaz Côrte Real, consultor jurídico da Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), e Charles Machado, advogado, empresário e presidente da Câmara Empresarial de Mercado de Capitais e Comércio Exterior, para discutir sobre a nova legislação, ambiente regulatório, tramitação da lei e como será colocada em prática.

O 2ª Diálogos Fecomércio SC pode ser acompanhado no Facebook e no canal do Youtube da Fecomércio SC.  O ciclo de lives da Federação reunirá especialistas de diferentes áreas para debater temas emergentes que impactam direta ou indiretamente nos setores do comércio, serviços e turismo. A primeira edição tratou da Reforma Tributária.

ACOMPANHE:

O post LGPD é sancionada e entra em vigor a partir desta sexta (18) apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Fecomércio SC e Senac SC lançam novo portal do Observatório do Turismo
18/09/2020

A Fecomércio SC e o Senac SC lançam, nesta terça-feira (22), o novo portal Observatório do Turismo de Santa Catarina. O evento virtual acontece às 17 horas com a palestra “O Reposicionamento do Turismo Catarinense”, apresentada por Marco Aurélio Floriani – presidente da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio SC. A transmissão ao vivo acontece tanto no Facebook quanto no canal do YouTube do Observatório.

O novo portal foi completamente reestruturado para atender às demandas das 13 regiões turísticas do Estado, bem como oferecer indicadores, dados e estudos sobre este segmento. São informações estratégicas para avaliar o desempenho do setor turístico em Santa Catarina, além de orientar no planejamento e assertividade na gestão dos negócios nesta área de atuação.

“O Observatório de Turismo entra em uma nova fase, alinhada às mudanças que o próprio setor está vivendo. O novo portal reflete este momento, abrindo mais espaço para as IGRs, que amadureceram com os programas Turismo em Movimento e DisrupTur, ganhando mais conhecimento para enfrentar este cenário de incertezas. Além de disponibilizar indicadores e conteúdos desenvolvidos por especialistas, que facilitam a compreensão do ecossistema turístico e a tomada de decisão”, afirma Bruno Breithaupt, presidente da Fecomércio SC.

Com o aprimoramento do Observatório do Turismo de Santa Catarina, esta sistematização permite não só traçar o panorama completo do turismo catarinense, como também o desenvolvimento de políticas públicas e privadas para fortalecer a cadeia produtiva com investimentos no setor.

O Observatório já é um importante instrumento para o desenvolvimento do turismo catarinense. Com o novo portal, estamos triplicando nossa capacidade de atuação e extensão de ajuda às regiões do Estado”, analisa Luis Fernando Albalustro, gestor do Observatório do Turismo SC.

Layout repaginado

O novo portal Observatório do Turismo de Santa Catarina apresenta um layout repaginado e intuitivo, com fácil acesso aos conteúdos relevantes para consultas de empresários, entidades ligadas ao setor, pesquisadores, acadêmicos, visitantes e interessados em conhecer melhor o segmento turístico em Santa Catarina.

O Observatório do Turismo é um catalisador de oportunidades que ajuda a disseminar soluções para toda a cadeia produtiva. O novo portal funcionará como uma ferramenta de auxílio para a atividade  e o próprio turista, atendendo às demandas do mercado. O turismo tem potencial de ser uma das principais matrizes econômicas de Santa Catarina, pois envolve direta e indiretamente muitos outros segmentos. Temos uma vocação natural, mas precisamos fortalecer as IGRs e promover nossos destinos de forma estratégica”, analisa Helio Dagnoni, vice-presidente de Turismo da Fecomércio SC.

Além das pesquisas e monitoramento de indicadores, a ferramenta também traz perfis dos municípios com potencial turístico no Estado. Cerca de 100 cidades catarinenses disponibilizaram informações e imagens para a nova ferramenta, que contará referências detalhadas sobre história, cultura, entretenimento, atrativos e gastronomia local.

O site contará, ainda, com espaço para calendário de eventos das Instâncias de Governança Regionais (IGRs). Dessa forma, a atualização do portal acontece de maneira dinâmica com o auxílio dos principais atores deste ecossistema, com a ampliação constante da base de dados para conhecer melhor e também para acompanhar o comportamento do setor.

O novo portal Observatório do Turismo de Santa Catarina oferece também tour virtual, mapa interativo, publicações e conteúdo inédito com a curadoria de professores do Senac SC sobre temas de interesse como destinos turísticos, hotelaria, eventos, bares e restaurantes, qualificação, legislação e muito mais.

Para conferir, acesse: http://www.observasctur.com.br e fique por dentro.

 

O post Fecomércio SC e Senac SC lançam novo portal do Observatório do Turismo apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Fecomércio SC participa de webinar da ABRIG
16/09/2020

O presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, participa de webinar sobre relações institucionais e governamentais e os desafios empresariais em Santa Catarina, realizado pela Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig), nesta quinta-feira (17), às 11h30.

:: Acompanhe 

O senador Jorginho Mello, a deputada federal Carmen Zanotto e o presidente da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), Iomani Engelman, completam o time de debatedores. O webinar será mediado por Carolina Venuto, presidente da ABRIG, Edgard Usuy e Monique Cigolini, associados ABRIG.

O post Fecomércio SC participa de webinar da ABRIG apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Especialistas debatem impactos da LGPD nos negócios em live da Fecomércio SC
16/09/2020

Quase 60% dos catarinenses nunca ouviram falar da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), conforme aponta pesquisa inédita da Fecomércio SC. Quatro em cada dez empresas B2C- possivelmente as mais afetadas pela lei por tratarem no dia a dia com dados pessoais- têm política de privacidade nos sites e aplicativos. Apenas 17,4% dos empresários catarinenses acreditam que serão impactados em algum nível pela LGPD.

Diante deste cenário, a Fecomércio SC convidou Thomaz Côrte Real, consultor jurídico da Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), e Charles Machado, advogado, empresário e presidente da Câmara Empresarial de Mercado de Capitais e Comércio Exterior, para discutir sobre a nova legislação, ambiente regulatório, bastidores da criação da lei e como será colocada em prática.

O 2ª Diálogos Fecomércio SC será realizado nesta segunda-feira (21), às 10h, no Facebook e no canal do Youtube da Fecomércio SC.  O ciclo de lives da Federação reunirá especialistas de diferentes áreas para debater temas emergentes que impactam direta ou indiretamente nos setores do comércio, serviços e turismo. A primeira edição tratou da Reforma Tributária.

Mais sobre a Lei

A lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018, dispõe sobre a proteção de dados pessoais por parte de empresas e entidades em geral. Veio na esteira de regulamentações internacionais sobre privacidade e deve consolidar a proteção de dados pessoais como um direito do cidadão.

Todos os negócios e empresas, incluindo governo e administração pública, que atuam com a manipulação dos dados em qualquer nível e volume, deverão seguir os princípios e regras previstas na lei.

Depois de muitas idas e vindas, a lei foi aprovada pelo Senado e aguarda a sanção presidencial para que possa entrar em vigor. As multas e penalidades só serão aplicadas a partir de agosto de 2021- os valores previstos para o descumprimento variam de 2% do faturamento bruto até R$ 50 milhões, por infração.

 

O post Especialistas debatem impactos da LGPD nos negócios em live da Fecomércio SC apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
VÍDEO: especialistas analisam propostas de Reforma Tributária em live da Fecomércio SC
16/09/2020

Três especialistas de peso debateram sobre a Reforma Tributária em live realizada pela Fecomércio SC nesta terça-feira (16).  Valter Lobato, presidente da Associação Brasileira de Direito Tributário (ABRADT), Ricardo Anderle, coordenador do Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET) em SC, e Lucas de Franceschi Rossetto, consultor tributário da Fecomércio SC e moderador do debate, discutiram os prós e contras  das três propostas em tramitação e a viabilidade da aprovação neste momento crítico para a política e economia brasileira.

O cerne da questão não é apenas o peso da carga tributária- cerca de 36% do Produto Interno Bruto (PIB)- mas a complexidade do sistema brasileiro e a insegurança jurídica, que muitas vezes afugenta o contribuinte e os investimentos. “O sistema tributário determina a capacidade de desenvolvimento e liberdade econômica do país. Os empresários pedem urgentemente pela Reforma, porém o histórico das normas tributárias do país mostra que até hoje todas as emendas constitucionais aprovadas trouxeram aumento de tributos”, pondera Rosseto.

Para Anderle, não há timing político para mudanças profundas no sistema tributário agora, visto que as propostas ainda precisam amadurecer e apresentar os cálculos de impactos nos setores. “Temos problemas de toda ordem no país. O momento é de Reforma Administrativa, de discutir as despesas públicas, não a receita. Por que não fazer alterações pontuais nos impostos que precisam ser repensados? Vamos discutir um modelo de alíquota simples, com base ampla de contribuintes”, aponta.

Valter vai na mesma direção e afirma que é necessário corrigir as distorções do sistema atual que geram complexidade, insegurança e injustiça. Há uma tributação excessiva sobre o consumo e sobre a folha de pagamentos: “Especialmente após a pandemia, precisamos criar ou aperfeiçoar o sistema para que ele incentive a retomada do crescimento econômico. Não é possível esperar a fase de transição constante das propostas. O aperfeiçoamento do sistema pode gerar resultados mais imediatos. O país não pode esperar”, avalia.

Assista na íntegra:



Propostas de Reforma Tributária em tramitação:

  • PEC nº 45/2019 (Câmara)- acaba com cinco tributos e cria os impostos sobre bens e serviço, como a proposta dos senadores;
  • PEC nº 110/2019 (Senado) – acaba com nove tributos e cria dois impostos, um sobre bens e serviços (IBS) e um imposto específico sobre alguns bens e serviços;
  • PL nº 3.887/2020 (Governo)- cria a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), em substituição ao Programa de Integração Social (PIS) e à Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins)

> Leia mais sobre Reforma Tributária

O post VÍDEO: especialistas analisam propostas de Reforma Tributária em live da Fecomércio SC apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Argentina promove rodada de negócios multisetorial em outubro
15/09/2020

O Consulado da Argentina realiza rodada de negócio multisetorial de 5 e 9 de outubro, com empresas da Província de Córdoba, principalmente dos segmentos de alimentos e metalmecânico. Os encontros entre as empresas argentinas e catarinenses serão realizados de forma virtual em horários previamente agendados.

Participam empresas dos setores:

– Grãos (grão de bico, feijões, milho de pipoca, painço, cártamo, ervilhas) e farinha de trigo;

– Maquinário agrícola (aparelhos de radionavegação, computadores de campo, máquinas para preparação de rações animais);

– Autopeças (buchas para amortecedores de automóveis e peças de borracha para máquinas agrícolas – tacos);

– Alimentos (queijos, doce de leite, leite de cabra, molhos, doces sólidos, geleias, azeitonas e derivados, panetone, escabeche de carnes silvestres, massas secas, panificados congelados, bebida probiótica, sais temperados,etc).

Importadoras, distribuidoras, supermercados e demais empresas interessadas nos produtos que serão oferecidos devem fazer credenciamento até o dia 23 de setembro. As fichas devem ser preenchidas conforme a área de interesse (ALIMENTOS, AGRO, MAQ. AGRO e AUTOPEÇAS) e enviadas para o email: comercialcflor@gmail.com.

O post Argentina promove rodada de negócios multisetorial em outubro apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Fecomércio SC reúne time de especialistas para debater Reforma Tributária
11/09/2020

A simplificação da burocracia fiscal está em discussão há cerca de 30 anos no Brasil. Para debater sobre os meandros desse sistema complexo e oneroso e a viabilidade da Reforma Tributária, a Fecomércio SC reúne três especialistas de peso: Valter Lobato, presidente da Associação Brasileira de Direito Tributário (ABRADT), Ricardo Anderle, coordenador do Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET) em SC, e Lucas de Franceschi Rossetto, consultor tributário da Fecomércio SC e moderador do debate.

O evento online será realizado nesta terça-feira (15), às 17h, no Facebook e no canal do Youtube da Fecomércio SC.

Atualmente, três propostas de Reforma Tributária estão em tramitação:

  • PEC nº 45/2019 (Câmara)- acaba com cinco tributos e cria os impostos sobre bens e serviço, como a proposta dos senadores;
  • PEC nº 110/2019 (Senado) – acaba com nove tributos e cria dois impostos, um sobre bens e serviços (IBS) e um imposto específico sobre alguns bens e serviços;
  • PL nº 3.887/2020 (Governo)- cria a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), com alíquota de 12%, em substituição ao Programa de Integração Social (PIS) e à Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins)

> Leia mais sobre Reforma Tributária

O post Fecomércio SC reúne time de especialistas para debater Reforma Tributária apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Setor de Serviços em SC cresce pelo terceiro mês consecutivo
11/09/2020

O setor de Serviços mantém em julho a recuperação pelo terceiro mês consecutivo, ainda que mais lenta e menos sólida que os meses anteriores e os demais setores da economia, conforme os dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta sexta-feira (11) pelo do IBGE.

Santa Catarina apresentou crescimento de 3,1% no volume na comparação mensal, resultado ligeiramente superior à média nacional de 2,6%. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o estado ainda está negativo em 7,4%, porém representa o 5º melhor resultado do país, cuja média foi de -11,9%. No acumulado do ano, as perdas estaduais foram reduzidas para -8,4%, próximo à média nacional de -8,9%.

O comportamento dos grupos de atividades do setor, entretanto, possui diferenças significativas. No Brasil, os grupamentos avançaram na comparação mensal, com exceção dos Serviços Prestados à Família, que registrou recuo de 3,9%. Todos os grupamentos, porém, ampliaram as perdas acumuladas no ano (janeiro a julho), isto acontece porque na comparação anual o desempenho do setor ainda não superou os níveis de crescimento observados no mesmo período do ano passado.

Em Santa Catarina, por outro lado, houve redução das perdas acumuladas no setor de Serviços profissionais, administrativos e complementares, que cresceu 14,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado, posicionando a atividade a apenas -1,6% inferior ao volume de serviços acumulado – considerando as receitas nominais, o grupo já se encontra em patamares positivos (0,8%). O resultado é praticamente o oposto do observado no país (-14,6% em relação a julho de 2019).

Comparação mensal

Outro grupo que apresentou redução das perdas foi o de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio com retração de 2,7% em relação ao mesmo mês do ano passado, enquanto no acumulado de 2020 as perdas foram reduzidas para -5,8% – sendo o único grupo no estado e país a apresentar um desempenho das receitas menor que o volume de serviços.

O grupo de serviços prestados às famílias seguiu a tendência nacional e também ampliou as perdas no estado, enquanto os serviços de informação e comunicação mantiveram certa estabilidade tanto ao nível estadual quanto nacional, ainda que com a diferença de que nos meses precedentes o estado sofreu um impacto proporcional muito maior neste setor. O grupo residual de outros serviços reverteu a tendência de retomada e retornou a patamares negativos no volume de serviços acumulado (-0,6%), já as receitas continuam positivas reduzindo-se para 0,7%.

Queda no turismo

O volume de atividades turísticas, por fim, teve reversão no estado em julho, com queda de 4,8% na comparação com junho, que representa exatamente o oposto do desempenho médio no país (4,8%). Esse resultado foi o segundo pior entre os 12 estados pesquisados e provavelmente esteve relacionado ao recrudescimento da pandemia no estado durante o mês, associado a maiores restrições de circulação. Ainda assim, no acumulado de 2020 o estado continua a apresentar o melhor desempenho do país neste aspecto, com perdas de -31,2% em relação ao mesmo período do ano anterior- a média nacional foi de -37,9%.

O post Setor de Serviços em SC cresce pelo terceiro mês consecutivo apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Toma posse novo presidente da Câmara de Material de Construção da Fecomércio SC
11/09/2020

Guarezi e Nunes compartilham informações da Câmara antes da posse

O novo presidente da Câmara Empresarial de Material de Construção da Fecomércio SC, Luiz Ricardo Nunes, foi empossado nesta quinta-feira (10) durante reunião online. O empresário de Itajaí assume o posto liderado até então por Jorge Guarezi, que estava à frente do órgão desde 2014.

Presidente da Associação de comerciantes de Material de Construção (Acomac) do Litoral e membro do Conselho Deliberativo  da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) no biênio 2020-2021, Nunes passa a comandar a Câmara com a missão de ser um interlocutor do setor, trabalhando alinhado à Federação das Associações dos Comerciantes de Material de Construção de Santa Catarina (Fecomac SC).

Entre as primeiras ações previstas pela nova gestão está o debate sobre a Reforma Tributária e a retomada das atividades da Frente Parlamentar em Defesa do Varejo dos Materiais de Construção, instalada na Alesc em agosto do ano passado. “É uma dificuldade enorme para o empresário definir o preço de venda do seu produto em função da complexidade dos impostos incidentes. Precisamos de tempo para cuidar do negócio, não calcular impostos. Por isso, defendo uma reforma tributária ampla”, afirma Nunes. Os números mostram a dimensão e força do setor: são 7500 mil estabelecimentos em atividade no Estado, que geram cerca de 44 mil empregos diretos.

A câmara tem caráter consultivo e funciona como fórum de discussão de demandas da categoria em questões tributárias, projetos de leis que impactam na cadeia produtiva, acesso ao crédito, investimentos em infraestrutura, concorrência desleal, PPPs, entre outras. As sugestões e propostas debatidas pela Câmara são encaminhadas à Fecomércio SC, que atua junto aos órgãos deliberativos competentes

Gestão Guarezi

Nos últimos seis anos, o empresário Jorge Guarezi foi porta-voz de um dos setores mais pujantes da economia catarinense. Durante sua gestão (2014-2020) defendeu pautas estratégicas para os empresários de material de construção: projeto de lei que bania a utilização do amianto em Santa Catarina; proposta de nova tabela  de produtos com Margem de Valor Agregado; parceria com a empresa de logística reversa de lâmpadas Reciclus, que rodou o Estado e foi replicada pelas Acomacs nas regiões; revogação da MP 220/2018,  que reduzia a alíquota do ICMS para alguns setores desequilibrando o restante da cadeia.

O post Toma posse novo presidente da Câmara de Material de Construção da Fecomércio SC apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Varejo catarinense tem alta nas vendas, mas perde ritmo em julho
10/09/2020

Os resultados do volume de vendas em julho foram bastante positivos no país e acima das projeções, com um crescimento de 5,2% do varejo restrito e de 7,2% do varejo ampliado, na comparação com o mês anterior. Porém, este desempenho ainda não cobre as perdas da crise- a retração é de 1,8% e 6,2% no acumulado do ano. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgados nesta quinta-feira (10) pelo IBGE.

O varejo ampliado em Santa Catarina continuou a apresentar ganhos (+3,5% na comparação com o mês anterior), porém em um ritmo menor, o que também é esperado após o choque positivo inicial relacionado a desembolsos depois de um represamento do consumo. Esse comportamento ocorreu de maneira mais concentrada em junho no Estado e em julho se percebe também no agregado nacional.

No acumulado do ano, o setor está com volume de vendas-1,1% menor que o mesmo período do ano passado. Porém, ao considerar as receitas nominais, já está em patamares positivos em 1,2% – o resultado é puxado principalmente pelos materiais de construção. O grupo de Veículos, motocicletas, partes e peças ainda se encontra em patamares bastante negativos no acumulado, com uma recuperação mais lenta a partir de junho.

Santa Catarina teve o melhor resultado no país no varejo restrito, com alta de 3,4% nas vendas, de janeiro a julho. Já na comparação mensal, apresentou ligeira queda de 0,5%  puxado principalmente pelos grupos de “Combustíveis e lubrificantes”, “Livros, jornais, revistas e papelaria” e “Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação”, que ampliaram suas perdas no acumulado do ano para -11,7% -41,8% e -28,7%, respectivamente. Os demais grupamentos apresentaram avanço nas vendas ou reduções das perdas acumuladas.

O post Varejo catarinense tem alta nas vendas, mas perde ritmo em julho apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Observatório do Turismo SC promove lives em setembro sobre futuro do ecossistema turístico
10/09/2020

O Observatório do Turismo SC segue com a série Live Talks no mês de setembro, trazendo diálogos e trocas de experiências sobre o futuro do ecossistema turístico. A iniciativa da Fecomércio SC e Senac SC prevê conversas com gestores e especialistas a respeito de diversos temas relacionados ao turismo- desde a vocação turística do Estado até a reinvenção do setor, que foi um dos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

O Live Talks de setembro será transmitido simultaneamente via Youtube e Facebook do Observatório do Turismo SC.  Serão discutidas pautas relevantes para o segmento e tendências que apontam não só a recuperação gradual do turismo, como também a necessidade de inovação para a retomada do setor.
Confira o calendário das lives: 
15 de setembro – O futuro dos meios de hospedagem em SC
Horário: 18 horas
Convidada: Lara Perdigão, da ABIH-SC
29 de setembro – Turismo de aventura
Horário: 18 horas
Convidada: Guilherme Eduardo dos Santos, integrante da comissão de estudos na ABNT para normalização do turismo de aventura
> Mais informações aqui no site do Observatório do Turismo SC

O post Observatório do Turismo SC promove lives em setembro sobre futuro do ecossistema turístico apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Prazo para inscrição na Certificação de Responsabilidade Social encerra dia 25
10/09/2020


Quem pretende fazer a inscrição na Certificação de Responsabilidade Social deste ano tem até o dia 25 para participar do certame. Um dos pré-requisitos é a comprovação da publicação do balanço social da organização relativo ao ano de 2019. As organizações que obtiverem os melhores desempenhos, com base nas ações e projetos socioambientais desenvolvidos no ano anterior, podem ainda ser premiadas com o Troféu Destaque.

Leia o edital 2020
Faça sua inscrição

Em 2020, a Certificação completa 10 anos de reconhecimento às empresas, entidades e organizações que têm gestão socialmente responsável, comprovada em Balanço Social. A Certificação e a Premiação foram instituídas com base na Lei Estadual 12.918/04 e contam com uma comissão mista composta por 11 organizações públicas e da sociedade civil, entre elas a Fecomércio SC.

Em 2019, a comissão recebeu 184 inscrições e certificou 85 empresas privadas, empresas públicas e entidades cujo balanço social atendeu aos critérios previstos no edital. Foram premiadas com troféu quatro empresas e duas organizações do terceiro setor que obtiveram as melhores pontuações na avaliação de seus balanços sociais e projetos desenvolvidos.

> Leia mais sobre Responsabilidade socioambiental

O post Prazo para inscrição na Certificação de Responsabilidade Social encerra dia 25 apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
PIB tem queda histórica no 2º trimestre de 2020
01/09/2020

O IBGE divulgou nesta terça-feita (1) o resultado das Contas Nacionais para o segundo trimestre de 2020. O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro registrou retração de 9,7% na comparação com o trimestre imediatamente anterior, a maior queda desde o início da série histórica, em 1996. Com o segundo trimestre consecutivo de variação negativa, o país entrou tecnicamente em recessão. Considerando também a retração de 1,5% no primeiro trimestre, as perdas acumuladas ficaram em 5,9% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Esse resultado, apesar de negativo, estava alinhado às projeções do mercado e pode ser considerado positivo em comparações internacionais. Na comparação trimestral, o principal componente da demanda afetado em termos absolutos foi o consumo das famílias (-12,5%) e em termos relativos a Formação Bruta de Capital Fixo (-15,4%), o que indica problemas tanto no consumo presente como no investimento para o futuro. As importações (-13,2%) também foram duramente impactadas e o consumo do governo (-8,8%) reduziu-se consideravelmente, apesar de ter sido o componente com menor variação negativa, somente o componente das exportações (1,8%) apresentou crescimento.

Em relação ao recorte setorial, apenas três subsetores tiveram resultado positivo na comparação trimestral: atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (0,8%), atividades imobiliárias (0,5%) e agropecuária (0,4%). O setor de serviços como um todo retraiu também 9,7%, porém o impacto foi ainda mais forte para o Comércio (-13,0%), transportes, armazenagem e correio (-19,3%) e outras atividades de serviços (-19,8%).

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), considerado uma prévia do PIB, permite analisar com mais detalhes como a crise se distribuiu entre os meses e estados da federação. Primeiramente, constata-se que o impacto mais forte da crise ocorreu em Abril, quando o índice registrou queda de -9,6%, enquanto Maio (+1,6%) e Junho (+4,9%) já indicaram uma retomada. Já em Santa Catarina, ao analisar o IBCR-SC, percebe-se que o impacto em Santa Catarina foi antecipado, ocorrendo com maior intensidade em Março (-7,4%) do que em Abril (-5,3%), e retomando com mais força já em Maio (4,3%) – o resultado no acumulado do primeiro semestre indica que o estado (-5,1%) teve um desempenho superior à média nacional (-6,3%).

O post PIB tem queda histórica no 2º trimestre de 2020 apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Santur lança pesquisa para conhecer intenção de viagens a Santa Catarina pós-pandemia
01/09/2020

Qual destino de Santa Catarina o turista pretende visitar depois da pandemia? O que muda na lista de prioridades? Que aspectos serão mais relevantes para os viajantes com planos de circular pelo estado? Essas e outras questões compõem a pesquisa da Agência de Desenvolvimento do Turismo (Santur) para conhecer a intenção de viagens a Santa Catarina após a pandemia.

Participe

O levantamento também vai reunir informações sobre a sensação de segurança dos turistas em relação a Santa Catarina e que premissas são consideradas no momento de escolher o destino.

“Para alguns, podem ser aspectos relacionados à estrutura, para outros, as medidas sanitárias adotadas ou um menor fluxo de turistas no local a ser visitado. Conhecer o comportamento do turista depois da pandemia nos ajudará a nortear ações e políticas para o turismo catarinense”, explica o presidente da Santur, “Mané” Ferrari.

Também serão coletadas a avaliação do impacto da crise no orçamento familiar e as prioridades de gastos no momento, além de informações sobre os segmentos turísticos preferidos, tipo de hospedagem, meio de transporte e qual a distância o viajante está disposto a percorrer.

A participação na pesquisa estará aberta até o dia 07 de setembro.


Leia +
Jucesc lança novo canal de comunicação com empreendedor
01/09/2020

A Junta Comercial de Santa Catarina (Jucesc) lançou na segunda-feira (31) o Sistema Integrado de Comunicação (Sicom) para facilitar o diálogo entre o órgão mercantil e o empreendedor, centralizando todas as formas de contato e informações em um único canal.

O objetivo é desburocratizar e trazer ainda mais celeridade aos processos empresariais. A Jucesc tem 100% das suas operações disponíveis em ambiente digital e, atualmente, é possível abrir uma empresa em menos de oito minutos por meio do Registro Automático.

A partir de agora a comunicação será feita exclusivamente pelo Sicom. Para contatar via e-mail, o endereço eletrônico é atendimento@jucesc.sc.gov.br, já o número do WhatsApp é (48) 99183-1591. Os telefones fixos não serão mais oferecidos como forma de contato relativo a questões técnicas, jurídicas, dúvidas ou exigências.

Assim que receber a demanda, o departamento Fale Conosco utilizará a ferramenta de resolução ou distribuição interna para o setor competente. Dessa forma, o usuário receberá a resposta pelo mesmo canal no prazo mais curto possível.

Veja como funciona:

 

 

 

 


Leia +
Projeto do SESC SC já produziu quase 53 mil máscaras durante pandemia
01/09/2020

O Sesc SC já uniu 448 voluntários e 229 instituições em 22 cidades na ação “Máscara para Todos”, do projeto “Envolva-se”, de abril a 24/08. Como resultado, já foram produzidas 52.824 máscaras (47.251 entregues), com os 2.651 metros de tecido, 6.303 metros de elástico, 283 rolos de linha arrecadados, e kits (tecido cortado e elástico) para 25 mil máscaras.

O projeto é desenvolvido por meio de uma rede colaborativa que promove a responsabilidade socioambiental e a cooperação entre doadores de tecidos e demais materiais, os participantes voluntários cadastrados no projeto e a população beneficiada, com a finalidade de ampliação da produção e distribuição de máscaras artesanais de tecido para uso das pessoas que mais necessitam. E assim, incentivando à cultura da doação e da colaboração em nossa sociedade.

Mobilização continua

A medida se faz necessária, devido à pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19), que gera grande demanda do sistema de saúde e risco à população, principalmente às pessoas com saúde mais debilitada e moradores de comunidades periféricas.

Todos os voluntários recebem videoaulas e materiais de orientação para aprenderem a confeccionar as máscaras em casa, com ou sem máquina de costura. Também recebem em casa os materiais para a produção das máscaras, doados pelos parceiros que integram essa rede. Clique aqui para cadastrar ou entrar em contato com o Sesc da sua região. A mobilização segue intensa, e a cada dia mais pessoas estão envolvidas nesta rede do bem.

O Sesc continua arrecadando tecidos 100% algodão, TNT, malha/fio de malha, tesoura de tecido, agulhas, linhas, elásticos. Podem doar pessoas físicas ou empresas, e é preciso fazer contato com a Unidade do Sesc Santa Catarina da sua região para agendar a entrega, que vamos até o local receber o material.


Leia +
Agosto
Ministério da Economia prorroga Pronampe por três meses
25/08/2020

O Ministério da Economia prorrogou por três meses o Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que oferece crédito financeiro aos pequenos negócios afetados pela pandemia. O prazo final para aderir ao programa terminaria no dia 19 de agosto, porém  foi publicada no Diário Oficial da União a portaria da prorrogação.

A linha de crédito é destinada a microempresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano e pequenas empresas com faturamento anual de de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões. Por meio do programa, o governo dá garantia para os empréstimos feitos pelas instituições financeiras públicas e privadas.

Além de estar em dia com a Receita, as empresas têm outras obrigações vinculadas à adesão ao crédito. A empresa não poderá demitir funcionários por até dois meses após o recebimento da última parcela do empréstimo.

Leia mais:

Pronampe poderá trazer alívio financeiro para 4,58 milhões de negócios impactados pela pandemia

Superintendente da Caixa Econômica detalha nova linha de crédito para pequenos negócios

 

O post Ministério da Economia prorroga Pronampe por três meses apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
DisrupTur premia melhores soluções para fomentar turismo catarinense
25/08/2020

Depois de mais de 300 horas de trabalho em ambiente virtual e engajamento de 1500 pessoas, o DisrupTur chegou ao fim com a premiação dos projetos “Vale Seguro”, da Instância de Governança Regional do Turismo (IGR) do Vale Europeu, em primeira colocação; “Ca$h Verde Mar”, da região turística Costa Verde & Mar, em segunda; e “Centro de Experimentação Turística”, da IGR Encantos do Sul, em terceira.

As apresentações foram realizadas nesta segunda-feira (24). Veja como foram os pitchs das IGRS

A proposta vencedora prevê uma plataforma/aplicativo de turismo focada em segurança, com base em curadoria e inteligência artificial. Após realizar uma pesquisa sobre o impacto da Covid-19 no turismo, a segurança apareceu como uma das principais preocupações do consumidor, de acordo com Juliano Sant´Ana, da IGR Vale Europeu. “Nós ouvimos o cliente e percebemos essa mudança no comportamento do turista. A plataforma quer utilizar a dinâmica da reputação para posicionar o Vale Europeu como um destino seguro. Estamos muito felizes em ganhar o DisrupTur, foi uma grande oportunidade de sair da zona de conforto. Agora, contamos com apoiadores e patrocinadores para tirar o projeto do papel”, afirma.

O juri foi composto por autoridades do turismo: Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Antônio Henrique Borges Paula, diretor de Relações de Institucionais do Senac Nacional, Rogério Siqueira, secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado de Santa Catarina, Ricardo Stodieck, secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado de Santa Catarina, e Bruno Breithaupt, presidente da Fecomércio SC.

Os jurados levaram em conta não só a viabilidade da proposta para o desenvolvimento da região turística, como também o grau de inovação e sustentabilidade, além da própria apresentação dos pitchs. Os três primeiros lugares ganharam uma premiação em dinheiro, nos valores de R$ 15 mil, R$ 10 mil e R$ 5 mil.

“Santa Catarina é referência em diversos segmentos e o DisrupTur é um grande trabalho. É uma revolução silenciosa que o turismo está fazendo”, declarou Antonio Henrique Borges Paula, diretor de Relações de Institucionais do Senac Nacional.

Conforme o Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira, iniciativas como esta contribuem para o desenvolvimento sustentável  do Estado por meio do turismo. “Conhecemos aqui excelentes iniciativas que, por meio da inovação, nos trazem um mundo de possibilidades, conexões e de desenvolvimento de políticas perenes em nosso estado.  São ações que contribuem para o fortalecimento da espiral de prosperidade, esperança e confiança”, afirma.

Fomento ao ecossistema

Iniciativa do Senac SC e Fecomércio SC, o DisrupTur assumiu o propósito de promover projetos para fomentar o ecossistema turístico no Estado diante dos cenários complexos que se formaram devido à pandemia do coronavírus. Por meio de metodologias inovadoras e utilização de recursos tecnológicos, ajudou a desenvolver soluções para enfrentar a atual crise econômica do turismo, atendendo às necessidades das IGRs.

“A cadeia produtiva do setor vivem um momento muito desafiador, que requer uma resposta à altura. Com a identificação desses projetos e insights, podemos alavancar a vocação turística das regiões e ampliar o portfólio de produtos turísticos de Santa Catarina. O Estado tem potencial de ampliar sua participação no mercado doméstico e de atrair  investimentos estrangeiros”, avalia Breithaupt.

Da ideia à prática

O Disruptur foi dividido em três fases: identificar as oportunidades e gerar ideias; desenvolver o conceito e as soluções; implementação, testagem e validação das propostas, que será posta em prática a partir de agora. Nesta fase, os participantes das 13 IGR’s tiveram que propor inovações para impulsionar o turismo catarinense. Para isso, a etapa contou com workshops de inovação, empreendedorismo, design de serviços e apresentação de pitch.

Os projetos criados englobaram não só temáticas fundamentais para impulsionar o setor, como também trouxeram soluções práticas que podem ser aplicadas, a exemplo de aplicativos, games, programa de vantagens, educação nas escolas e até mapas virtuais.

Para o diretor regional do Senac SC, Rudney Raulino, o DisrupTur alinhou conhecimento e inovação em soluções que buscam novas oportunidades de negócios para o setor turístico no Estado. “Ao promover o DisrupTur, o Senac SC ressalta seu compromisso com o turismo catarinense, fornecendo ferramentas necessárias para gerar conexões, experimentações e propostas disruptivas para as IGRs”, afirma.

O post DisrupTur premia melhores soluções para fomentar turismo catarinense apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
SC cria mais de 10 mil novas vagas de emprego em julho, 3º maior saldo do país
24/08/2020

Santa Catarina registrou em julho o segundo mês consecutivo de variação positiva no saldo de emprego formal,  conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), publicado na sexta-feira (21). Com 10.044 novas vagas de emprego, SC tem o maior saldo entre os estados do Sul e o terceiro em relação ao resto do país, atrás de São Paulo (22.967) e Minas Gerais (15.843). A aceleração foi puxada, especialmente, pelo setor industrial, que representou 76,4% das novas vagas criadas.

O movimento de recuperação do emprego tem grandes diferenças setoriais, regionais e populacionais. A análise permite entender melhor os impactos diretos da pandemia na economia, o que possibilitará elaborar estratégias de manutenção e recuperação dos grupos mais afetados, assim como avaliar quais têm perspectiva de retomada e mesmo superação dos níveis pré-crise.

O comércio em Santa Catarina apresentou saldo positivo (1.443), incluindo pela primeira vez o segmento de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (56 PFT). As principais classes responsáveis por este resultado foi a de comércio não especializado (547 PFT) que inclui supermercados, minimercados e lojas de departamentos, grupo de materiais de construção (297 PFT) e o comércio atacadista de produtos de consumo não-alimentar (291 PFT).

O setor de serviços, por outro lado, voltou a ter um saldo negativo em julho (296 PFT), após um junho positivo com criação de 599 vagas. Ao analisar as seções, divisões e grupos do setor de serviços é possível observar como a pandemia afeta desigualmente as atividades econômicas, de maneira que alguns grupos de atividade estão em ascensão a despeito da crise (especialmente atividades administrativas, profissionais e técnicas) , enquanto outros grupos vêm sofrendo sérias perdas e um saldo negativo persistente no emprego formal, como é o caso das atividades ligadas a alojamento e alimentação (1.218 PFT). A seção de Informação e Comunicação, que foi afetado em Santa Catarina de maneira mais acentuada do que no resto do país (também pela sua maior proporção relativa na economia estadual), voltou a apresentar saldo positivo de 388 vagas em julho.

Conforme dados referentes a escolaridade e faixa etária, a geração de empregos se concentra nas faixas etárias mais jovens, enquanto o saldo negativo nas vagas continua a aumentar para aqueles com mais de 50 anos. O grau de instrução com maior saldo positivo é o de ensino médio completo, bastante ligado ao setor industrial. O grau de instrução de ensino superior completo apresentou saldo negativo tanto ao nível nacional quanto estadual, principalmente devido a demissões ligadas a área de ciências e artes, especialmente de ensino, tanto da administração pública quanto de setores privados.

O post SC cria mais de 10 mil novas vagas de emprego em julho, 3º maior saldo do país apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Mesa Brasil Sesc SC distribui mais de um milhão de quilos de alimentos de março a agosto
21/08/2020

Passados cinco meses desde que fomos surpreendidos pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) o programa Mesa Brasil Sesc Santa Catarina segue com forte atuação no combate à fome e ao desperdício de alimentos, e só nesse período já distribuiu 1.028.142 Kg de alimentos para 389 instituições sociais cadastradas em 60 municípios do Estado (dados de 26 de março a 18 de agosto de 2020).

Desde o começo do ano, já foram 1.696.553 Kg de alimentos distribuídos para 500 instituições sociais, mas parte dessas delas estão com os atendimentos temporariamente suspensos. As equipes do programa mapearam aquelas que são de longa permanência e as que poderiam continuar entregando os alimentos para as famílias, mesmo com o atendimento suspenso, e também realizou o cadastramento de novas instituições que estão atendendo pessoas em vulnerabilidade social neste momento.

De acordo com Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em estudo realizado com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid-19, o desemprego pode ter atingido 17% dos catarinenses em maio, retratando a perspectiva de uma realidade de muitas dificuldades, que deverá se estender no período pós-pandemia.

Leia mais

ATENÇÃO: Mesa Brasil Sesc não faz cadastro de pessoas para recebimento domiciliar de cestas básicas. Esta informação é falsa. Não compartilhe e não forneça seus dados com esta finalidade.

O post Mesa Brasil Sesc SC distribui mais de um milhão de quilos de alimentos de março a agosto apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Semana Brasil pode ajudar minimizar prejuízos da pandemia em SC
21/08/2020

Os setores do comércio, serviços e turismo tiveram que se reinventar e adotar diferentes estratégias para manter os negócios a todo vapor, gerando emprego e renda no Estado. Diante deste cenário, a Fecomércio SC passou a apoiar a Semana Brasil 2020, “Black Friday verde e amarela” criada para aquecer a economia em setembro, mês tipicamente fraco para as vendas.

Para evitar a aglomeração nos estabelecimentos, os empresários estão adequando as ações promocionais às normas de segurança sanitária de cada local.Descontos atrativos, promoções, preços progressivos e foco nas vendas online estão entre as medidas previstas pelos lojistas de 3/09 a 13/09.

O mote desta edição é “Todos juntos com segurança pela retomada e o emprego”. A comunicação visual da campanha está disponível para download e as empresas poderão personalizar com suas marcas as peças que serão usadas na ambientação dos espaços físicos e virtuais.  Saiba mais

Criada pela Secretaria de comunicação do Governo Federal (Secom) em 2019, a Semana Brasil será coordenada este ano pela Instituição para Desenvolvimento do Mercado (IDV), com apoio da CNC e Federações.

O post Semana Brasil pode ajudar minimizar prejuízos da pandemia em SC apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Projeto de inovação no turismo em SC encerra com apresentação e premiação das melhores propostas
19/08/2020

As 13 Instâncias de Governança Regional do Turismo (IGR’s) apresentam projetos com soluções inovadoras para o setor na fase final do DisrupTur, na segunda-feira (24), às 16h. As três melhores propostas serão premiadas com R$ 15 mil, R$ 10 mil e R$ 5 mil.

Cada IGR terá cinco minutos para o pitch. A banca de jurados também terá o mesmo tempo para fazer os questionamentos e selecionará as melhores propostas conforme três critérios: desenvolvimento da região turística, grau de inovação e sustentabilidade.

“Durante todo o DisrupTur, os representantes das Instâncias trabalharam com metodologias de inovação para entender o cenário do turismo regional, elencar as principais dificuldades e encontrar soluções para potencializar a vocação turística de cada região. Agora chegou o momento de reconhecer as melhores soluções e trabalhar para viabilizar esses projetos”, explica Audrey Soares Rembowski, que integra a equipe técnica responsável pelo DisrupTur.

O evento será online e aberto ao público. Para assistir, basta acessar o YouTube do Observatório do Turismo de Santa Catarina.

:: DisrupTur

O DisrupTur foi pensado para atender às necessidades das Instâncias de Governança Regional do Turismo (IGRs) diante dos cenários complexos que se formaram devido à pandemia do novo coronavírus. O Senac SC, por meio do programa Turismo Catarinense em Movimento (TEM), elaborou este projeto com o objetivo de aproximar inovações disruptivas. O projeto foi dividido em três fases:

1ª – identificar as oportunidades e gerar ideias
2ª – desenvolver o conceito e as soluções
3ª – implementação, testagem e validação das propostas

A utilização de recursos tecnológicos e metodologia de inovação permitiu aos participantes momentos de cocriação – que foram fundamentais para mapear as dores e problemas de cada uma das IGRs e analisar a viabilidade de ações para resolvê-los.

O post Projeto de inovação no turismo em SC encerra com apresentação e premiação das melhores propostas apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Fórum E-Commerce Brasil debate tendências e novos rumos do setor
18/08/2020

Players e especialistas do setor discutiram sobre tendências e desafios do varejo online durante o Fórum E-commerce Brasil 2020 – Edição Global, realizado de 28 a 30 julho. Por conta das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, a edição deste ano foi online.

O evento contou com a participação de mais de 30 nomes de peso à frente dos painéis, como Neil Patel, co-fundador do Neil Patel Digital, Steve Wozniak, co-fundador da Apple, Vinod Suresh, vice-presidente de gerenciamento de produtos do Wallmart Labs, Ricardo Dias, VP de Marketing na AMBEV, e o publicitário Washington Olivetto.

::Mercado de E-commerce

  • O Brasil apresentou alta de 150% nas vendas online durante a pandemia, com aumento de 39% no faturamento. O grande volume de entregas congestionou o sistema, ocasionando em atrasos. Isso mostra que o setor precisa desenvolver novas soluções de entrega.
  • Entre as tendências destacadas por especialistas está a “Live Commerce”, onde empresas passaram a utilizar as transmissões ao vivo para a venda de produtos. A modalidade se mostrou um excelente canal, pois possibilita ao consumidor a experiência de compra durante o entretenimento (Conteúdo + Entretenimento + Serviço = Venda). AMBEV e B2W (americanas.com.br) informaram que utilizaram dessa modalidade para realizar vendas com preços e condições diferenciadas garantindo mídia instantânea.
  • Diante do novo cenário- em que hotéis e resorts devem sofrer pressão para queda nos valores das diárias devido à redução nas viagens de avião e inseguranças causadas pela pandemia- as estratégias de promoções e ações devem ser focadas em experiências.
  • O setor de materiais de construção foi apontado com grande potencial de expansão pós-pandemia. Foi observada que a facilidade nas compras online trouxe ganhos de produtividade, assim a fatia de participação do e-commerce no faturamento deve aumentar.

:: Visão de varejistas brasileiros

  • Magazine Luiza destacou a importância da rápida adaptação aos novos cenários, a exemplo da venda de produtos de supermercado dentro do site para ajudar as pessoas que não podiam sair de casa. Como ação de marketing ofereceu frete grátis para todas as compras realizadas através do aplicativo, adicionou botão de denúncia contra a violência doméstica e expandiu a rede de distribuição.  Também habilitou as lojas físicas para entregar os produtos vendidos por seu Marketplace, buscando apoiar o pequeno varejista (aproximadamente 20.000 vendem dentro de sua plataforma).
  • A Via Varejo (Ponto Frio + Casas Bahia) relatou que o e-commerce foi o principal canal de vendas no início da pandemia, amortecendo o impacto do fechamento de 1070 lojas em todo país. A rede buscou soluções criativas, como o canal de vendas pelo Whatsapp. O potencial do mercado online é de 87 milhões de consumidores. Hoje, o setor é responsável por uma participação de 90% do mercado na China, 40% nos EUA e 30% no Brasil. Reduziu o tempo de habilitação de novo seller no Marketplace de 90 para 07 dias e devem iniciar a habilitação em tempo real.

:: Tendências nas operações

  • A atuação Ominichannel e vendas DTC também foram destaques. As empresas com operações mistas (on e off-line) crescem até 4x mais do que as com presença puramente online.
  • Para reduzir custos operacionais, grandes varejistas estão utilizando operações do modelo Dark Store, que consiste em manter um ponto físico menor que um CD para realizar entregas locais de maneira ágil. Muitas utilizam de pontos onde já tinham lojas normais convertendo-as em um mini CD para entrega/retirada de pedidos
  • Opção de pagamento por meio digital, sem dinheiro físico, para praticamente tudo. No Brasil essa forma de pagamento ganhou força com a entrada da Picpay.
  • Grandes players como Rappi e Mercado Livre discursaram sobre a importância do monitoramento da pandemia na China. Desde janeiro estavam monitorando os acontecimentos para tomar medidas assertivas na mitigação do impacto nos negócios. Para operar de maneira segura e produtiva, a Rappi disponibilizou produtos de higiene e proteção pessoal, como álcool gel, máscaras e luvas, além de serviços de desinfecção para os motoboys, mantendo a segurança e padrão de higiene dos equipamentos e veículos utilizados. Mercado Livre apostou na tecnologia, inclusive criando aplicativos para monitorar distanciamento dos colaboradores dentro dos CDs, e operou com equipes e turnos fixos para facilitar a rastreabilidade em colaborador infectado, facilitando as medidas de combate e controle.

:: Logística

  • No setor logístico ocorreu popularização e ganhou força o uso de lockers para retirada de produtos, facilitando a vida do consumidor e tornando o processo de entrega (sistema self-delivery) mais ágil.
  • Como gargalo para o e-commerce foi apontado o valor do frete e o prazo de entrega, que em alguns casos tornam a operação inviável. Algumas regiões do país chegam a levar de 50 a 60 dias para entrega, com isso o Mercado Livre vem investindo em Fullfilment e operações próprias utilizando pequenos entregadores.

:: Moda e Marketing Digital

  • Os empresários Ricardo Almeida, fundador e CEO da marca de mesmo nome, e Natalie Klein, fundadora da NK Stores, abordaram o conceito de roupas duráveis, moda temporal e coleções complementares. Com o aumento do consumo consciente, o setor vem lançando menos coleções e busca uma pegada mais sustentável, tentando oferecer não somente um produto, mas o conceito de experiência a seus clientes.
  • Para obter melhores índices de conversão, marketing e mídias digitais das empresas devem ficar atentos às informações que desejam transmitir e ter um bom planejamento. Nos últimos anos houve queda na audiência em anúncios spam, de 12 para 8 segundos, comprovando que muitos deles trazem taxa de conversão baixa.
  • Neil Patel trouxe detalhes de que 90% da informação consumida nas redes sociais são visuais e não textuais, chegando a ser 60 mil vezes maior durante a busca por conteúdo.

O post Fórum E-Commerce Brasil debate tendências e novos rumos do setor apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Setor de serviços tem alta em junho, mas fecha semestre no negativo em SC
14/08/2020

A alta no volume de serviços em junho sinaliza que o pior já passou para o setor. Segundo dados da Pesquisa Mensal dos Serviços (PMS), divulgada na quinta-feira (13) pelo IBGE, foi registrado em junho crescimento de 5% no país e de 3,6% em SC na comparação com o mês anterior.

No semestre, porém, Santa Catarina fechou com resultados negativos (-8,6%), próximo da média nacional (-8,3%). Nos dois primeiros meses da pandemia, o setor teve queda de 7,1% e 13,9%, mas começou a reverter as perdas em maio (6,4%), enquanto o país ainda apresentava retração de 0,9%.

A dinâmica dos grupos de atividades que compõe o setor de serviços foi substancialmente diferente no Estado na variação interanual. Em junho, as atividades de serviços prestados às famílias, as mais afetadas pela pandemia, tiveram perdas significativamente menores em SC (-40,70%) na comparação com o país (-57,50%). Os serviços de informação e comunicação, porém, apresentaram perdas muito maiores no Estado (-7,2%), mais do que o dobro da média nacional (-2,9%).

O destaque de Santa Catarina, entretanto, foram os serviços profissionais, administrativos e complementares, que apresentaram volume muito próximo ao mesmo mês do ano passado (-0,4%) e foi o principal segmento responsável pelo saldo positivo no emprego dos serviços em junho, com a criação de 2.848 novas vagas. Ao considerar o indicador da receita nominal, este grupamento de atividade está em situação 2% melhor do que em junho de 2019, o único em situação positiva no estado.

Comparando o volume de serviços e a receita nominal, percebe-se que as perdas foram ligeiramente menores ao considerar as receitas dos grupamentos de atividade, excetuando-se os transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que apresentaram retração ainda maior na receita do que no volume de serviços.

Atividades turísticas

Santa Catarina despontou com o maior crescimento no volume de atividades turísticas do país (26,1%) em junho frente a maio. Ainda assim, as perdas chegam a 47,7% se comparados a junho de 2019. Apesar do saldo positivo do emprego formal no setor de serviços em Santa Catarina, o grupamento de alojamento e alimentação (que compõe os serviços prestados às famílias e as atividades turísticas) fechou mais de 1500 vagas formais em junho.

O post Setor de serviços tem alta em junho, mas fecha semestre no negativo em SC apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Cultura e turismo de natureza motivaram mais de 50% das viagens de lazer em 2019
13/08/2020

Nem só de sol e praia vive o turismo no Brasil. Embora tenha sido a motivação de viagem de 34,3% dos brasileiros que rodaram o país a lazer em 2019, cultura (27,2%) e natureza, ecoturismo ou aventura (25,6%) também ganharam espaço, conforme os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD Contínua do Turismo, divulgados pelo Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (12).

Veja a pesquisa na íntegra

O objetivo do levantamento é mapear características das viagens realizadas por brasileiros e quantificar os fluxos de turistas para as diferentes regiões do país e para o exterior, contribuindo para a criação de políticas públicas, assim como a definição de ações e investimentos do Ministério do Turismo. A pesquisa apurou o perfil das viagens dos brasileiros- motivo da viagem, meio de transporte utilizado, destino, entre outros – o que permite fazer uma consistente avaliação sobre a demanda turística doméstica.

Turismo interno

Em 21,8% dos 72,5 milhões de domicílios visitados algum morador viajou em 2019. As viagens nacionais representaram 96,1% das 21,4 milhões de viagens analisadas. Apenas 3,9% (828,7 mil) foram internacionais. Os estados que mais receberam visitantes foram São Paulo (18,9%) e Minas Gerais (12,8%). Santa Catarina está na lanterna com 4,2%, 9º lugar entre os 10 principais destinos procurados nas viagens nacionais.

De acordo com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, os números revelados pela parceria com o IBGE são fundamentais para conhecer melhor os turistas brasileiros e planejar políticas para fortalecer o setor, especialmente na retomada pós-pandemia.

“O turismo passou oito anos sem esse tipo de levantamento, que é primordial para criarmos ações para o setor. Conhecer o perfil do viajante doméstico e suas preferências vai nos ajudar muito na retomada do turismo no Brasil”, avaliou o ministro.

A pesquisa apontou que os deslocamentos no país foram, em sua maioria, por carro particular ou da empresa (46,6%), seguidos de ônibus de linha (16%), avião (15,3%), ônibus de excursão, fretado ou turismo (7,1%), van (4,1%) e motocicleta (2,1%), entre outros. Hospedagem na casa de amigo ou parente (47,3%) foi a opção mais citada pelos turistas brasileiros, seguida de hotel ou flat (17,3%), pousada (4,8%) e imóvel próprio (2,8%).

Confira as pesquisas da Fecomércio SC sobre turismo

Leia mais

Fecomércio SC e Governo alinham ações para colocar turismo na mira dos investidores estrangeiros

Turismo interno: catarinenses foram maioria no inverno 2019 na Serra

O post Cultura e turismo de natureza motivaram mais de 50% das viagens de lazer em 2019 apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Comércio em Santa Catarina dá sinais de recuperação
12/08/2020

O comércio catarinense começa a apresentar números animadores. Em junho, o varejo ampliado em Santa Catarina despontou com o maior volume de vendas (24,6%) do país na comparação com 2019, diante do recuo de 0,9% na média nacional. A alta foi de 22,2% em relação ao mês de maio, quase o dobro do resultado nacional (12,6%), conforme a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (12) pelo IBGE.

Já o varejo restrito em SC teve crescimento de 12,7% na comparação anual e 2,8% na mensal. O comportamento é bastante diferente no cenário nacional: variação de 0,5% no ano e 8% em junho.

Os resultados de junho em Santa Catarina foram puxados por móveis e eletros (33,3%)- considerando que o setor acumulava índices baixos nos últimos anos e passou a mostrar recuperação no final de 2019- supermercados (23,4%) e artigos farmacêuticos (9%), dois setores considerados essenciais e que tiveram suas atividades alteradas durante a pandemia.

“O processo de retomada da economia se dará de forma lenta por conta das incertezas do mercado. Mas, a reação já é percebida em alguns segmentos do comércio. Estes são os primeiros sinais de recuperação e a manutenção do emprego e renda é fundamental neste processo”, afirma do presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt.

O mercado de trabalho em SC apresentou saldo positivo em junho, com abertura de 3.721 novos postos, uma variação de 0,18% sobre seu estoque total, a maior da região Sul. Os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério da Economia, sinalizam para uma redução no nível de desligamentos e aumento das admissões.

Leia mais:
Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC)- junho
Intenção de Consumo das Famílias (ICF)- junho
Pesquisa de endividamento e inadimplência (PEIC)- junho

Resultados do 1º semestre

A retomada gradual das atividades a partir de abril ajudou a mitigar os prejuízos do setor, mas os resultados do semestre ainda são negativos (-0,2%). De janeiro a junho, os segmentos de artigo de uso pessoal e doméstico (15,4%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (12,3%) apresentaram a maior variação no volume de vendas em SC. A alta na inflação nestes segmentos refletiu na receita do comércio (4,1%).

O varejo nacional fechou o primeiro semestre com queda de 3,1% nas vendas frente a 2019, a maior desde o segundo semestre de 2016 (- 5,6%).

Conforme dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o setor amargou prejuízo acumulado de 279 bilhões entre 15 de março e 25 de julho no país. Santa Catarina figura entre os cinco estados com maior impacto na receita, com perda acumulada de R$ 18,09 bilhões. O peso no caixa foi substancialmente maior no varejo não essencial: R$ 15,38, que representa 85,1% das perdas totais.

Confira os dados na íntegra

 

O post Comércio em Santa Catarina dá sinais de recuperação apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Legislação para Mata Atlântica preocupa setor empresarial
11/08/2020

O Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) discutiu nesta terça-feira (11) ações para reforçar o posicionamento favorável à aplicação do Código Florestal às áreas de Mata Atlântica, assunto que está em discussão no Supremo Tribunal Federal (STF). A corte avalia neste momento se para o bioma deve ser aplicada a Lei da Mata Atlântica (Lei 11.428/2006) ou o Código Florestal (Lei 12.651/2012). A preocupação é com os fortes impactos sobre a atividade econômica em estados como Santa Catarina, caso prevaleça a Lei da Mata Atlântica, pois ela não admite o instituto das áreas consolidadas, que reconhece realidades estabelecidas ao aplicar a lei ambiental. É o caso, por exemplo, de cidades situadas na beira de rios.

Para o COFEM, mais do que uma questão jurídica, trata-se de um tema estratégico para o desenvolvimento sustentável. Por isso, exige a atenção de toda a sociedade, já que a decisão do STF pode inviabilizar a produção integrada da agroindústria catarinense e segmentos como o de base florestal.

O COFEM também avaliou a retomada da agência de atração de investimentos Investe SC, que está sendo discutida com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável e com a Secretaria de Assuntos Internacionais. Até 2019, a agência foi mantida numa parceria entre o governo no estado e a FIESC. Neste momento, a ideia é trazer os demais setores econômicos, por meio do COFEM, buscando investimentos que possam complementar as cadeias estabelecidas em Santa Catarina.

Outros assuntos da reunião foram as medidas de enfrentamento à pandemia, em parceria entre as federações empresariais e a secretaria de Saúde estadual; a necessidade de uma política de Estado para assegurar o fornecimento de insumos para manter a cadeia agroindustrial de Santa Catarina, e os questionamentos ao reequilíbrio financeiro do contrato de concessão do trecho Norte da BR-101.

O post Legislação para Mata Atlântica preocupa setor empresarial apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Fecomércio SC e Governo alinham ações para colocar turismo na mira dos investidores estrangeiros
11/08/2020

O potencial do turismo catarinense de atrair investimentos de fora pautou a segunda reunião da Fecomércio SC com a nova secretária-executiva de Assuntos Internacionais, Daniella Abreu, na segunda-feira (10). O encontro também contou com a presença do presidente da Santur, Leandro ‘Mané’ Ferrari, e os diretores do Sesc e Senac. Setor produtivo e Governo vêm dialogando para criar um ambiente de negócios favorável ao comércio exterior e às relações internacionais.

A Fecomércio SC defendeu a inserção do turismo como uma das verticais de atração de investimentos internacionais. Conforme a SAI, as oportunidades no setor serão apresentadas no Fórum de Investimentos, realizado pela Apex em novembro, o que demandará articulação entre entidades, iniciativa privada e governo para criar um portfólio com produtos turísticos de Santa Catarina. Segundo o Senac, no fim deste mês serão apresentados 13 projetos criados pelas  Instâncias de Governança Regionais de Turismo (IGRs), dentro do programa Disruptur, que podem ajudar a atrair os olhos do mercado internacional.

A necessidade de investimentos nas fronteiras, especialmente na aduana de Paraíso, finalização do projeto de sinalização turística em todo o Estado e a promoção do turismo catarinenses em outros países também foram pontos discutidos. A agenda da retomada econômica em SC está sendo debatida com a SDE e Santur desde a troca na liderança da pasta.

O post Fecomércio SC e Governo alinham ações para colocar turismo na mira dos investidores estrangeiros apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Quase 20% ainda estão indecisos com presentes para Dia dos Pais em SC
06/08/2020

O comportamento do consumidor nas datas comemorativas foi diretamente afetado pelas incertezas provocadas pela pandemia. Em Santa Catarina, parcela considerável (18,4%) está indecisa quanto ao presente no Dia dos Pais, conforme aponta a Pesquisa de Intenção de Compras realizada pela Fecomércio SC. Em 2019, este público representava 4,2%. Entre os decididos, 41,9% pretendem comprar roupas, 10,9% calçados e 10,7% perfumes e cosméticos.

Leia a pesquisa na íntegra

As mudanças no local de compras também mostram os reflexos do atual cenário: o comércio de rua continua como o principal destino para mais da metade (56,2%), porém diminuiu consideravelmente em comparação a 2019 (71,2%). Já as compras online triplicaram de 4,5% para 14,4% este ano.

O gasto médio com presentes deve ser de R$ 157,17, 0,5% maior do que em 2019 (R$ 156,39), valor puxado principalmente pela expectativa dos entrevistados das faixas de renda mais altas.  A maioria dos consumidores (82,5%) quer garantir o presente à vista, em dinheiro (47,8%), débito (18,6%) ou crédito (16,1%).

Devido à pandemia, 71,1% informaram que não pretendem realizar nenhum tipo de passeio, diante dos 42,0% registrados em 2019.

A pesquisa foi realizada entre os dias 03 e 20 de julho, com 1.123 pessoas, em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Lages e Itajaí.

O post Quase 20% ainda estão indecisos com presentes para Dia dos Pais em SC apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +
Desafio de Inovação vai selecionar projetos que visam melhorar competitividade do turismo
06/08/2020

Uma competição inédita busca soluções para a retomada do turismo pós-pandemia através de projetos de base tecnológica, bem como a superação de desafios gerais do setor a partir da transformação digital. O 1° Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo foi lançado pelo Ministério do Turismo, em parceria com o Wakalua Innovation Hub, primeiro polo global de inovação em turismo, em colaboração com a Organização Mundial do Turismo (OMT), agência da ONU dedicada ao setor

As startups interessadas em participar podem se inscrever na competição até 2 de setembro (inscreva-se aqui). O Desafio tem duas categorias: “Reativar o Turismo”, com foco em soluções imediatas, e “Construir o Turismo do Futuro”, voltada a ações de efeito prolongado. Os 10 projetos mais bem colocados vão se classificar para a semifinal da 3ª edição da competição global de startups em turismo da OMT, além de disputar uma viagem à Espanha para participar de um treinamento e acompanhar a Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur), o maior evento mundial do gênero.

A competição integra uma parceria entre o Ministério do Turismo e o Wakalua para a definição de uma estratégia nacional de inovação em turismo, conectada ao ecossistema global, que envolve, ainda, a instalação de um hub da entidade no Brasil. Além disso, visa estimular a inovação no setor no país, melhorando a competitividade do turismo brasileiro através da transformação digital de organizações públicas e privadas.

A colaboração com o Wakalua permitiu um mapeamento que indicou a existência de 101 startups de turismo no país, responsáveis por 2.950 empregos e um investimento total de US$ 278 milhões. Uma delas é a Smart Tour Brasil, de Santa Catarina, que trabalha com pesquisas sob demanda do setor, a partir da coleta de dados em atrativos turísticos com o uso da tecnologia IoT (internet das coisas), e a criação de rotas inteligentes. A Smart Tour Brasil foi finalista do Healing Solutions for Tourism Challenge, promovido neste ano pela OMT para identificar startups, empreendedores e soluções inovadoras que mitiguem impactos da Covid-19 no turismo.

O 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo é realizado totalmente online. Mais detalhes sobre o evento final serão anunciados por meio do site startups.turismo.gov.br. A avaliação dos projetos selecionados ficará a cargo de líderes do turismo e da inovação no país.

O post Desafio de Inovação vai selecionar projetos que visam melhorar competitividade do turismo apareceu primeiro em Fecomércio SC.


Leia +