Notícias

Aconteceu

Junho
COMÉRCIO ABERTO NO FERIADO
08/06/2020

Leia +
Abril
SENAC - SC Disponibiliza ao Empresário, Link : fale com nossos Consultores!!
23/04/2020
Queremos ajudar sua empresa a enfrentar qualquer desafio.
Como? Fale com nossos consultores.
Empresário, nós queremos ajudar você também nesse momento difícil.

Por isso, disponibilizamos um canal de comunicação com nossos consultores. Envie uma mensagem falando sobre sua maior dificuldade neste momento e nós iremos auxiliar com orientações para sua empresa.

Temos mais de 1.300 especialistas em todo o Estado disponíveis para ajudar com conhecimento nas áreas de turismo, saúde, educação, marketing, varejo, gastronomia, inovação e tecnologia.

Acesse o link abaixo e compartilhe sua dificuldade que um de nossos especialistas irá entrar em contato com você:


Acessar
https://corporativo.sc.senac.br/contato/?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Empresario-nos-queremos-ajudar-voce



Leia +
ORIENTAÇÕES SOBRE O TRABALHO NO FERIADO
16/04/2020
ORIENTAÇÕES SOBRE O TRABALHO NO FERIADO

Para o uso da mão de obra dos empregados no feriado do dia 21.04, considerando que é permitida
aos estabelecimentos comerciais a abertura desde que a legislação municipal não traga nenhuma
vedação,
 Para uso da mão de obra dos empregados, existem duas possibilidades:

o Mediante autorização em Convenção Coletiva de Trabalho, que deve definir as
regras para utilização da mão de obra;

o Mediante aplicação do artigo 13 e parágrafos da Medida Provisória nº 927/2020,
caso não haja previsão do uso da mão de obra dos trabalhadores em Convenção
Coletiva de Trabalho, registrando que a aplicação da regra não está revestida de
segurança jurídica nos casos em que há previsão em CCT.

A orientação é no sentido de que nas localidades onde existe previsão em CCT, a utilização da força
de trabalho ocorra com respeito às regras nela determinadas, evitando questionamentos e formação
de passivo trabalhista.
A sugestão aos Sindicatos Patronais que possuem regras para trabalho em feriados em suas CCTs é
para que, na medida do possível, busquem renegociá-las com as entidades laborais, com o intuito de
minimizar os custos das empresas.
Leia +
ATIVIDADES COM PRORROGAÇÃO DE QUARENTENA
13/04/2020

Leia +
O COMÉRCIO DE RUA VOLTA A FUNCIONAR DIA 13/04/2020
11/04/2020

Leia +
COMUNICADO ATIVIDADES LIBERADAS
08/04/2020

Leia +
Março
PLANO ESTRATÉGICO SC
27/03/2020

Leia +
BOLETIM COVID-19 – COMPILAÇÃO MEDIDAS LEGAIS
26/03/2020
BOLETIM COVID-19 – COMPILAÇÃO MEDIDAS LEGAIS


Com a evolução da pandemia no território nacional, o Governo federal, bem como outros órgãos públicos e privados tem anunciado medidas de auxílio a redução dos impactos econômicos da pandemia a atividade empresarial.
Dentre as principais medidas, podemos destacar as abaixo discriminadas:
As medidas trazidas pela MP 927, de 22/03/2020, está tratada em documento autônomo, e por isso não consta do presente documento.

1) SIMPLES NACIONAL (RESOLUÇÃO CGSN Nº 152, DE 18/03/2020)
Diferimento das obrigações decorrentes do simples nacional (parte da união) por 03 (três) meses.
A prorrogação do prazo a que se refere o caput não implica direito à restituição de quantias eventualmente já recolhidas.
http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=107839

2) FEBRABAN
Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander farão prorrogação das dívidas para contratos vigentes em dia e limitados aos valores já utilizados. A medida de estímulo à economia tem o objetivo de amenizar os efeitos negativos do coronavírus no emprego e na renda, informou a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).
https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-03/clientes-dos-cinco-maiores-bancos-podem-pedir-prorrogacao-de-dividas
3) BNDES
Suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos indiretos para empresas no valor de R$ 11 bilhões;
https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/imprensa/noticias/conteudo/bndes-lanca-primeiras-medidas-para-reforcar-caixa-de-empresas-e-apoiar-trabalhadores-que-enfrentam-efeitos-do-coronavirus/!ut/p/z1/1VRNT9wwEP0tPeTotZVkN0lvW4qKCpRDocvmgia2k7iKP9Z2NtBf38nCqSqsEEJVfbE8Y783b-xnWtNbWhvYqw6isgYGXG_r1d1FdX56ll-xC7a8ztn6c1bkN8UpOy9T-oPWtOYmutjTbWOEDHfKhKjiyA8ICeutlglT2nlpAiTM2Ki4gpAwbk2Uo7AJOxwkAxgOxHmlpfIQiJZCCZwdeCBettZz8ISDugciJJEzZMC8JOCswlT00MDQg7CYILsR95gWaSNoIlupog1EWMKtt7NKP4a5eseVoNuKr6DKsoZkebEiecYFKSsBpC2qolymadosgW6OtaPGNHtmrBmer49t2SJF8TxFRjd7JSd6Y6zXeEHfX6ng7BjDVfpGhiPwy_eFL94VPs_fCP_1cP0vPCA0XOovTy47hIXYE2VaS2__nT-wHvVzt6vX6PLZrvfxqZr_y-bY926wzeOPtjZNVmKDkUt66Rejx3AfowsfE5awaZoWh0oXnd0vGo8RhzKc9XEWGlSUj3L_htXbgB36E4I6rcvsgZhfn76RLydNOV23-mnalLF8yIbuw2-LInOt/dz/d5/L2dBISEvZ0FBIS9nQSEh/

4) TRANSMISSÃO COMUNITÁRIA (PORTARIA Nº 454, DE 20/03/2020)
Covid-19: governo declara transmissão comunitária em todo o país
http://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-454-de-20-de-marco-de-2020-249091587

5) REDUÇÃO 50% FORÇA TRABALHO NA INDÚSTRIA CATARINENSE (PORTARIA 189 DA SES, de 22/03/2020)
Prevê que a indústria catarinense deverá reduzir ao menos 50% do número de trabalhadores por turno, exceto as empresas que trabalham com serviços essenciais.
Transporte fretado também deverá ser utilizado com 50% da capacidade instalada.
http://www.doe.sea.sc.gov.br/Portal/VisualizarJornal.aspx?cd=2353

6) OUTRAS MEDIDAS DO GOVERNO DE SANTA CATARINA
Outras medidas adotadas pelo Governo do Estado, BRDE e Badesc para mitigar os impactos às empresas catarinenses, especialmente as micro e pequenas:

Carência e postergação de dois a seis meses dos contratos de financiamento em andamento, para pequenas e médias empresas;
Linhas de crédito de capital de giro para micro e pequenas empresas, com carência de 12 a 18 meses e 30 meses para pagamento, com juros parcialmente subsidiados pelo Governo do Estado, em operações de até R$ 200 mil. A disponibilidade é de R$ 50 milhões de recursos próprios do BRDE;
Ampliação do Programa Microcrédito Juro Zero de R$ 3 mil para R$ 5 mil, por operação, para MEI com juros pagos pelo Estado. A projeção é de R$ 70 milhões de recursos próprios;
Linha de Crédito Badesc Emergencial para micro e pequenos empreendedores em até R$ 150 mil, com carência de 12 meses e amortização em 36 meses. Juros subsidiados parcialmente pelo Estado. A disponibilidade é de R$ 50 milhões em recursos próprios;
Projeto de subvenção de juros para pequenos empreendimentos rurais, pelo Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), com juros de 2,5% ao ano, pagamento em 36 meses e carência de 12 meses. Recursos disponíveis são R$ 1,5 milhão da SAR. A expectativa é alavancar R$ 60 milhões em investimentos no meio rural e pesqueiro de Santa Catarina;
Criação de programas de financiamento pós-crise para investimento e ampliação da disponibilidade dos programas acima com recursos do BNDES;
Prorrogação nos prazos de obrigações acessórias da SEF.
O Governo de Santa Catarina solicitou ao Conselho do Simples Nacional para a prorrogação do prazo de pagamento da parte estadual do Simples Nacional (ICMS) por três meses, na mesma forma da parte federal do Simples.
https://www.sc.gov.br/noticias/temas/coronavirus/coronavirus-em-sc-tire-suas-duvidas-sobre-as-medidas-restritivas-e-as-acoes-de-combate-e-prevencao-a-covid-19#empresas

Leia +
MEDIDA PROVISÓRIA Nº 927, DE 22 DE MARÇO DE 2020
26/03/2020
MEDIDA PROVISÓRIA Nº 927, DE 22 DE MARÇO DE 2020

Dispõe sobre as medidas trabalhistas para enfrentamento do estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus (covid-19), e dá outras providências

CELEBRAÇÃO ACORDO INDIVIDUAL ESCRITO

 Durante o estado de calamidade pública, o empregado e o empregador poderão celebrar acordo individual escrito, a fim de garantir a permanência do vínculo empregatício, que terá preponderância sobre os demais instrumentos normativos, legais e negociais, respeitados os limites estabelecidos na Constituição.

MEDIDAS QUE PODERÃO SER ADOTADAS

 Medidas que poderão ser adotadas pelos empregadores, para preservação do emprego e da renda:

I - o teletrabalho;
II - a antecipação de férias individuais;
III - a concessão de férias coletivas;
IV - o aproveitamento e a antecipação de feriados;
V - o banco de horas;
VI - a suspensão de exigências administrativas em segurança e saúde no trabalho;
VII - o diferimento do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS.

DO TELETRABALHO

 O empregador poderá, a seu critério, alterar o regime de trabalho presencial para o teletrabalho, o trabalho remoto ou outro tipo de trabalho a distância a determinar o retorno ao regime de trabalho presencial, independentemente da existência de acordos individuais ou coletivos, dispensado o registro prévio da alteração no contrato individual de trabalho.

 Haverá a necessidade de notificar o empregado com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, por escrito ou por meio eletrônico.

 As disposições relativas a responsabilidade pela aquisição, pela manutenção ou pelo fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do teletrabalho, trabalho remoto ou trabalho a distância e ao reembolso de despesas arcadas pelo empregado serão previstas em contrato escrito, firmado previamente ou no prazo de trinta dias, contado da data da mudança do regime de trabalho.
 Na hipótese de o empregado não possuir os equipamentos tecnológicos e a infraestrutura necessária e adequada à prestação do teletrabalho, do trabalho remoto ou do trabalho a distância:
I – O empregador poderá fornecer os equipamentos em regime de comodato e pagar por serviços de infraestrutura, que não caracterizarão verba de natureza salarial; ou
II – Na impossibilidade de oferecimento do regime de comodato de que trata o inciso I, o período da jornada normal de trabalho será computado como tempo de trabalho á disposição do empregador.

 O tempo de uso de aplicativos e programas de comunicação fora da jornada de trabalho normal do empregado não constitui tempo a disposição. Aprendizes e estagiários poderão adotar o regime do teletrabalho.


ANTECIPAÇÃO DAS FÉRIAS

! Durante o estado de calamidade pública, o empregador informará ao empregado sobre a antecipação de suas férias com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, por escrito ou por meio eletrônico, com a indicação do período a ser gozado pelo empregado.

! As férias não poderão ser gozadas em períodos inferiores a cinco dias corridos e poderão ser concedidas por ato do empregador, ainda que o período aquisitivo a elas relativo não tenha transcorrido.

! Adicionalmente, empregado e empregador poderão negociar a antecipação de períodos futuros de férias, mediante acordo individual escrito.

! O empregador poderá suspender as férias ou licenças não remuneradas dos profissionais da área da saúde ou daqueles que desempenhem funções essenciais, mediante comunicação formal da decisão ao trabalhador, por escrito ou por meio eletrônico, preferencialmente com antecedência de 48 horas.

! O empregador poderá optar por efetuar o pagamento do adicional de um terço de férias após sua concessão, até a data em que é devida a gratificação natalina.

! O abono das férias estará sujeito a concordância do empregador.

! O pagamento da remuneração das férias concedidas em razão do estado de calamidade pública poderá ser efetuado até o 5º dia útil do mês subsequente ao início do gozo das férias.

! Na hipótese de dispensa do empregado, o empregador pagará, juntamente com o pagamento dos haveres rescisórios, os valores ainda não adimplidos relativos as férias.

DA CONCESSÃO DE FÉRIAS COLETIVAS

 O empregador poderá, a seu critério, conceder férias coletivas e deverá notificar o conjunto de funcionários afetados com antecedência de, no mínimo, 48 horas.

 Ficam dispensadas a comunicação prévia ao órgão local do Ministério da Economia e aos sindicatos da categoria

DO APROVEITAMENTO E DA ANTECIPAÇÃO DE FERIADOS

 Os empregadores poderão antecipar o gozo de feriados não religiosos: federais, estaduais e municipais.

 Os empregadores deverão notificação, por escrito ou por meio eletrônico, o conjunto de funcionários beneficiados com antecedência de, no mínimo, 48 horas, mediante indicação expressas dos feriados aproveitados.

 Os feriados poderão ser utilizados para compensação do saldo em banco de horas.

 A respeito dos feriados religiosos, dependerá da concordância do empregado, mediante manifestação em acordo individual escrito.

DO BANCO DE HORAS

 Fica autorização a interrupção das atividades pelo empregador e a constituição de banco de horas, em favor do empregado ou do empregador, estabelecido por meio de acordo coletivo ou individual formal, para a compensação em até 18 meses (1 ano e meio), contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

 A compensação do tempo para recuperação do período interrompido poderá ser feita mediante prorrogação da jornada em até 2 horas, não podendo exceder 10 horas diárias de trabalho.

 A compensação do saldo de horas poderá ser determinada pelo empregador independente de convenção ou acordo coletivo.

DA SUSPENSÃO DE EXIGÊNCIAS ADMINISTRATIVAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

 Fica suspensa a obrigatoriedade de realização dos exames médicos ocupacionais, clínicos e complementares, exceto dos exames demissionais.

 Os exames serão realizados no prazo de 60 dias, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

 O exame demissional poderá ser dispensado caso o exame médico ocupacional mais recente tenha sido realizado há menos de 180 dias (6 meses).

 Fica suspensa a obrigatoriedade de realização de treinamentos periódicos e eventuais dos atuais empregados, previstos em normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho.

 Os treinamentos serão realizados no prazo de 90 dias, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

 Os treinamentos poderão ser realizados na modalidade de ensino a distância e caberá ao empregador observar os conteúdos práticos, de modo a garantir que as atividades sejam executadas com segurança.

 As comissões internas de prevenção de acidentes poderão ser mantidas até o encerramento do estado de calamidade pública e os processos eleitorais em curso poderão ser suspensos.

DO DIFERIMENTO DO RECOLHIMENTO DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS)

 Fica suspensa a exigibilidade do recolhimento do FGTS pelos empregadores, referente às competências de março, abril e maio de 2020, com vencimento em abril, maio e junho de 2020, respectivamente.

 Os empregadores poderão fazer uso da prerrogativa prevista no caput independentemente:
I - do número de empregados;
II - do regime de tributação;
III - da natureza jurídica;
IV - do ramo de atividade econômica; e
V - da adesão prévia.
 O recolhimento das competências de março, abril e maio de 2020 poderá ser realizado de forma parcelada, sem a incidência da atualização, da multa e dos encargos previstos no art. 22 da Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990.

 O pagamento das obrigações referentes às competências mencionadas no caput será quitado em até 6 parcelas mensais, com vencimento no sétimo dia de cada mês, a partir de julho de 2020, observado o disposto no caput do art. 15 da Lei nº 8.036, de 1990.

 Para usufruir do parcelamento e prazo de pagamento, o empregador fica obrigado a declarar as informações, até 20 de junho de 2020, nos termos do disposto no inciso IV do caput do art. 32 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, e no Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, observado que:
I - as informações prestadas constituirão declaração e reconhecimento dos créditos delas decorrentes, caracterizarão confissão de débito e constituirão instrumento hábil e suficiente para a cobrança do crédito de FGTS; e
II - os valores não declarados, nos termos do disposto neste parágrafo, serão considerados em atraso, e obrigarão o pagamento integral da multa e dos encargos devidos nos termos do disposto no art. 22 da Lei nº 8.036, de 1990.

 Art. 21. Na hipótese de rescisão do contrato de trabalho, a suspensão prevista no art. 19 ficará resolvida e o empregador ficará obrigado:
I - ao recolhimento dos valores correspondentes, sem incidência da multa e dos encargos devidos nos termos do disposto no art. 22 da Lei nº 8.036, de 1990, caso seja efetuado dentro do prazo legal estabelecido para sua realização; e
II - ao depósito dos valores previstos no art. 18 da Lei nº 8.036, de 1990.
 As eventuais parcelas vincendas terão sua data de vencimento antecipada para o prazo aplicável ao recolhimento previsto no art. 18 da Lei nº 8.036, de 1990.

 As parcelas, caso inadimplidas, estarão sujeitas à multa e aos encargos devidos nos termos do disposto no art. 22 da Lei nº 8.036, de 1990.

 Fica suspensa a contagem do prazo prescricional dos débitos relativos a contribuições do FGTS pelo prazo de 120 dias, contado da data de entrada em vigor desta Medida Provisória.

 O inadimplemento das parcelas ensejará o bloqueio do certificado de regularidade do FGTS.

 Os prazos dos certificados de regularidade emitidos anteriormente à data de entrada em vigor desta Medida Provisória serão prorrogados por 90 dias.

 Os parcelamentos de débito do FGTS em curso que tenham parcelas a vencer nos meses de março, abril e maio não impedirão a emissão de certificado de regularidade.

ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

 Fica permitido aos estabelecimentos de saúde, mediante acordo individual escrito, mesmo para as atividades insalubres e para a jornada de doze horas de trabalho por trinta e seis horas de descanso:
I - prorrogar a jornada de trabalho, nos termos do disposto no art. 61 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1943; e
II - adotar escalas de horas suplementares entre a décima terceira e a vigésima quarta hora do intervalo interjornada, sem que haja penalidade administrativa, garantido o repouso semanal remunerado nos termos do disposto no art. 67 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1943.

 As horas suplementares computadas em decorrência da adoção das medidas previstas nos incisos I e II do caput do art. 26 poderão ser compensadas, no prazo de dezoito meses, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública, por meio de banco de horas ou remuneradas como hora extra.

PRAZOS PARA RECURSOS E DEFESAS ADMINISTRATIVAS

 Durante o período de 180 dias, contado da data de entrada em vigor desta Medida Provisória, os prazos processuais para apresentação de defesa e recurso no âmbito de processos administrativos originados a partir de autos de infração trabalhistas e notificações de débito de FGTS ficam suspensos.

CASOS DE CONTAMINAÇÃO PELO CORONAVÍRUS x DOENÇA OCUPACIONAL

 Os casos de contaminação pelo coronavírus (covid-19) não serão considerados ocupacionais, exceto mediante comprovação do nexo causal.

ACORDOS E CONVENÇÕES COLETIVAS

 Os acordos e as convenções coletivos vencidos ou vincendos, no prazo de 180 dias, contado da data de entrada em vigor desta Medida Provisória, poderão ser prorrogados, a critério do empregador, pelo prazo de noventa dias, após o termo final deste prazo.

DAS FISCALIZAÇÕES DOS AUDITORES FISCAIS DO TRABALHO

 Durante o período de 180 dias, contado da data de entrada em vigor desta Medida Provisória, os Auditores Fiscais do Trabalho do Ministério da Economia atuarão de maneira orientadora, exceto quanto às seguintes irregularidades:
I - falta de registro de empregado, a partir de denúncias;
II - situações de grave e iminente risco, somente para as irregularidades imediatamente relacionadas à configuração da situação;
III - ocorrência de acidente de trabalho fatal apurado por meio de procedimento fiscal de análise de acidente, somente para as irregularidades imediatamente relacionadas às causas do acidente; e
IV - trabalho em condições análogas às de escravo ou trabalho infantil.

DOS TRABALHADORES RURAIS E TEMPORÁRIOS

 A Medida Provisória aplica-se aos trabalhadores rurais e temporários.

DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS

 A Medida Provisória se aplica, no que couber, aos empregados domésticos, tais como jornada, banco de horas e férias.

DA ANTECIPAÇÃO DO PAGAMENTO DO ABONO ANUAL EM 2020

 No ano de 2020, o pagamento do abono anual de que trata o art. 40 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, ao beneficiário da previdência social que, durante este ano, tenha recebido auxílio-doença, auxílio acidente ou aposentadoria, pensão por morte ou auxílio-reclusão será efetuado em duas parcelas, excepcionalmente, da seguinte forma:
I - a primeira parcela corresponderá a cinquenta por cento do valor do benefício devido no mês de abril e será paga juntamente com os benefícios dessa competência; e
II - a segunda parcela corresponderá à diferença entre o valor total do abono anual e o valor da parcela antecipada e será paga juntamente com os benefício da competência maio.

 Na hipótese de cessação programada do benefício prevista antes de 31 de dezembro de 2020, será pago o valor proporcional do abono anual ao beneficiário.

 Sempre que ocorrer a cessação do benefício antes da data programada, para os benefícios temporários, ou antes de 31 de dezembro de 2020, para os benefícios permanentes, deverá ser providenciado o encontro de contas entre o valor pago ao beneficiário e o efetivamente devido.


DAS MEDIDAS ADOTADAS POR EMPREGADORES EM PERÍODO ANTERIOR A 30 DIAS DA MEDIDA PROVISÓRIA

 Consideram-se convalidadas as medidas trabalhistas adotadas por empregadores que não contrariem o disposto nesta Medida Provisória, tomadas no período dos trinta dias anteriores à data de entrada em vigor desta Medida Provisória.


PERÍODO DE VIGÊNCIA DA MEDIDA PROVISÓRIA

 A medida provisória entra em vigor em 23/03/2020 e tem validade por 120 dias.

Leia +
SOLICITAÇÃO TOQUE DE RECOLHER BRUSQUE, GUABIRUBA E BOTUVERÁ.
24/03/2020
Boa tarde a todos,

SINDILOJAS BRUSQUE, solicita aos municípios de sua base, Brusque, Botuverá e Guabiruba que se faça o toque de recolher.

Acompanhe a matéria no site do jornal o município,olhar do vale e radio cidade.
Segue link
https://omunicipio.com.br/sindilojas-de-brusque-solicita-toque-de-recolher-para-evitar-arrombamentos-e-furtos/

https://olhardovale.com.br/novo/sindilojas-quer-toque-de-recolher-na-microrregiao

https://rc.am.br/homes/page_noticia/id_59044/titulo_sindilojas-sugere-ldquo-toque-de-recolher-rdquo/



Leia +
Medidas de isolamento social são prorrogadas por mais sete dias em Santa Catarina
24/03/2020
Medidas de isolamento social são prorrogadas por mais sete dias em Santa Catarina
Decisão foi anunciada pelo Governador no fim da tarde de ontem

Foram prorrogadas até a próxima terça-feira (31) as medidas restritivas de isolamento social em Santa Catarina. A decisão foi anunciada pelo governador Carlos Moisés no fim da tarde de segunda-feira (23) e consta em novo decreto publicado no Diário Oficial.
O Decreto 525 reforça algumas medidas de enfrentamento já anunciadas anteriormente e detalha como deve ser a operação das atividades essenciais. Entre as que impactam diretamente o setor de comércio de bens, serviços e turismo, destaca-se:
– Suspensão por 30 dias:
• Eventos e as reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, incluídas excursões, cursos presenciais, missas e cultos religiosos;
• Concentração e a permanência de pessoas em espaços públicos de uso coletivo, como parques, praças e praias;
• Contados a partir de 19 de março de 2020, as aulas nas unidades das redes pública e privada de ensino, municipal, estadual e federal, incluindo educação infantil, ensino fundamental, nível médio, educação de jovens e adultos (EJA), ensino técnico e ensino superior, sem prejuízo do cumprimento do calendário letivo, o qual deverá ser objeto de reposição oportunamente
– A operação de atividades industriais em todo o território catarinense somente poderá ocorrer mediante a redução de, no mínimo, 50% do total de trabalhadores da empresa, por turno de trabalho.
– Com a suspensão das atividades e os serviços privados não essenciais, a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro fica suspensa por mais sete dias.
– A comercialização de alimentos abrange supermercados, mercados, mercearias, padarias, açougues e peixarias.
– Limitação de entrada de pessoas em estabelecimentos que atendam o público e sejam considerados serviços públicos ou atividades essenciais em 50% da capacidade de público. Os estabelecimentos deverão providenciar o controle de acesso, a marcação de lugares reservados aos clientes, bem como o controle da área externa do estabelecimento, respeitadas as boas práticas e a distância mínima de 1,5 m (um metro e cinquenta centímetros) entre cada pessoa.
– Fica autorizada a abertura de oficinas e borracharias às margens de rodovias estaduais e federais, cabendo aos estabelecimentos adotar medidas para impedir a aglomeração de pessoas.
– Fica autorizada a comercialização de refeições às margens de rodovias estaduais e federais por restaurantes, para atendimento de profissionais de serviços públicos e atividades essenciais, incluídos transportadores de carga, de materiais e insumos, cabendo aos estabelecimentos adotar medidas para impedir a aglomeração de pessoas, bem como não permitir o acesso público.
– Ficam suspensos, pelo prazo de 30 dias, os prazos de defesa e os prazos recursais no âmbito dos processos administrativos dos órgãos e das entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual; e todos os prazos previstos no Decreto nº 1.886, de 2 de dezembro de 2013, bem como os prazos para manifestações solicitadas pela Auditoria-Geral do Estado (AGE) da Controladoria-Geral do Estado (CGE). Ficam excetuados da suspensão de que trata o caput deste artigo os prazos recursais de processos de licitação.
– O Decreto detalhou de forma mais ampla os serviços considerados como essenciais, entre eles atividades do comércio de bens, serviços e turismo:
• assistência à saúde, incluídos os serviços médicos e hospitalares;
• atividades de segurança pública e privada, incluídas a vigilância, a guarda e a custódia de presos;
• produção, distribuição, comercialização e entrega, realizadas presencialmente ou por meio eletrônico, de produtos de saúde, higiene, alimentos e bebidas;
• prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doenças dos animais;
• inspeção de alimentos, produtos e derivados de origem animal e vegetal;
• vigilância agropecuária internacional;
• controle de tráfego aéreo, aquático ou terrestre;
• compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras;
• serviços postais;
• transporte e entrega de cargas em geral;
• serviços relacionados à tecnologia da informação e de processamento de dados (data center), para suporte de outras atividades previstas neste Decreto;
• fiscalização tributária e aduaneira;
• transporte de numerário;
• fiscalização ambiental;
• produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;
• mercado de capitais e seguros;
• atividades acessórias ou de suporte e a disponibilização dos insumos necessários à efetivação de serviços/atividades essenciais estabelecidos neste Decreto, especialmente quando se tratar das atividades de saúde e de segurança pública, ressalvado o funcionamento exclusivo para esse fim;
• distribuição de encomendas e cargas, especialmente a atividade de tele entrega/delivery de alimentos;
• agropecuárias;
• oficinas de reparação de veículos de emergência, de carga, de transporte de mais de 8 (oito) passageiros e de viaturas;
• serviços de guincho;
Leia mais
Entidades propõem ao Governo ações para retomada das atividades
Governo anuncia plano de recuperação econômica de Santa Catarina

Governo Federal publica MP com novas medidas trabalhistas

Pesquisa: Quais foram os impactos do coronavírus em sua empresa?

A informação correta é uma das principais aliadas da prevenção ao novo coronavírus. Sempre confira a fonte antes de compartilhar fotos, vídeos e textos.







Leia +
COMUNICADO HORARIO
24/03/2020
COMUNICADO

O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE BRUSQUE - SINDILOJAS comunica a todos os seus associados e demais empresas do setor que, para atender as medidas de prevenção contra a disseminação do novo Coronavírus (SARS-CoV-2), resolve adiar a data da Assembleia Ordinária que aconteceria no mês de março do corrente, com a finalidade de promover a prestação de contas do exercício de 2019 desta entidade.

A presente medida tem como objetivo, a preservação da saúde e da integridade dos participantes da assembleia e dos colaboradores da entidade, bem como, a prevenção contra a disseminação do vírus, já que a assembleia concentraria grande número de pessoas em local fechado, o que não coaduna com as orientações manifestadas pelas autoridades de saúde para enfrentamento da crise.

Comunicamos, ainda, que a sede do sindicato estará fechada até que a situação se normalize, sendo que a secretária executiva da entidade, Sra. Debora, estará exercendo suas atividades remotamente, podendo ser contatada, de segunda-feira à sexta-feira, no horário das 8:00 as 12:00 e das 14h às 17:30h, através dos seguintes canais: e-mail da entidade: sindilojas@sindilojasbrusque.com.br; e, telefone celular (47) 99639-4178.

Assim que possível, com a modificação do cenário atual, será anunciada nova data para a realização da referida assembleia, bem como o retorno do atendimento presencial na sede do sindicato patronal.

Contamos com a compreensão de todos neste momento delicado, certos de que em breve, poderemos prosseguir com as atividades normais de nossa entidade.

Atenciosamente.


SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE BRUSQUE




Leia +
ORIENTAÇÃO SINDILOJAS
20/03/2020

Leia +
RELAÇÕES TRABALHISTAS
18/03/2020

Leia +
COMUNICADO
18/03/2020

Leia +
Agosto
SEMANA DO BRASIL
21/08/2019
SINDILOJAS Brusque dá apoio aos associados para participação na Semana do Brasil

O governo federal confirmou na semana passada que promoverá, dos dias 6 a 15 de setembro, a Semana do Brasil. O SINDILOJAS Brusque apoia a iniciativa e dará suporte aos associados que queiram aproveitar a promoção, dando visibilidade e mais poder de vendas para suas marcas.
Usando como gancho o Sete de Setembro, Dia da Independência, a ideia do governo federal é realizar – em conjunto com as empresas de comunicação e as entidades nacionais do varejo, serviços e turismo – uma grande campanha para movimentar o comércio, aquecer a economia e estimular o turismo durante o período.
Pensando em seus associados, o SINDILOJAS encomendou a produção inicial de faixas de vitrine, bem como cartazes de preços. Serão também produzidas peças para publicação em sites e redes sociais.
“A campanha será feita pelo próprio governo. Portanto, o lojista precisa aproveitar essa oportunidade. Será uma semana no estilo Black Friday, e vamos dar todo o suporte para que nosso associado tenha um ótimo resultado em vendas”, destaca o presidente do SINDILOJAS, Marcelo Gevaerd.
Para solicitar as faixas de vitrine e cartazes de preços, a empresas interessadas devem encaminhar e-mail para: sindilojas@sindilojasbrusque.com.br.
Em caso de dúvidas, estamos à disposição pelo telefone (47) 3351-2508.




Leia +
Junho
Presidente da Fecomércio participa de reuniões em Brusque e Guabiruba
01/06/2018
O presidente da Fecomércio – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina, Bruno Breithaupt, esteve em Brusque e Guabiruba nesta quarta-feira, 30 de maio, oportunidade em que foi recebido pelo presidente do Sindilojas – Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba, Marcelo Gevaerd.
Inicialmente, os empresários marcaram presença no evento Pós NRF (promovido pela Fecomércio/SC em parceria com o Senac/SC e apoio do Sindilojas), que teve como palestrante, o professor alemão Marc Knoppe, que abordou as principais tendências e tecnologias destacadas na Retail´s Big Show 2018, durante a Missão Técnica New York, realizada em janeiro deste ano. Breithaupt saudou os participantes e manifestou satisfação em visitar Brusque. “O objetivo desse evento é oportunizar o compartilhamento de informações e a troca de experiências. É em Nova York que se verifica as maiores tendências de varejo do mundo. Nem tudo que se vê lá é possível aplicar no Brasil, mas há sim, muitas ideias que podem ser colocadas em prática”, observou o presidente da Fecomércio.
O professor convidado apresentou ao público, tendências tecnológicas que podem ajudar a alavancar as vendas de lojas físicas e on-line. “O ideal é conseguir aliar a loja física com o e-commerce, pois essa aposta tem feito muito sucesso. Muitas vezes é difícil para a loja física expandir seu negócio para o mercado on-line e vice-versa, mas com o avanço da digitalização no varejo, é preciso realizar algumas mudanças. É claro que há necessidade de primeiramente se conhecer bem o público-alvo para saber quais ferramentas digitais usar e sempre antes de investir, se perguntar se o cliente vai pagar por esse investimento. Caso contrário, não vale a pena fazê-lo. Mas há muitas oportunidades de deixar os produtos mais atraentes e melhorar as vendas, com o uso de tecnologias que não são tão caras”, destacou Marc.
Após a palestra, durante painel com empresários que participaram da Missão Técnica New York, Marcelo Gevaerd considerou fundamental o uso das tecnologias, mas chamou atenção para a necessidade de se manter as relações pessoais. “É claro que devemos explorar a tecnologia para atrair o cliente, mas acredito que não tem atendimento melhor do que ser recebido com um sorriso e um bom dia. Quem trabalha com varejo nunca pode esquecer, que quem não tem fidelidade do cliente, não sobrevive a longo prazo. Você precisa acreditar que o cliente vai retornar à loja porque gosta das pessoas que trabalham lá ou da maneira como é atendido. Quando o cliente sabe que vai receber a atenção que precisa, ele certamente volta”, alertou o presidente do Sindilojas.

Paralisação
Num segundo momento, Breithaupt e Gevaerd estiveram reunidos com o presidente da ACIBr – Associação Empresarial de Brusque, Halisson Habitzreuter, representantes de outras entidades e autoridades, para discutir a questão das paralisações pelo país, que têm comprometido significativamente o dia a dia e a economia da região do Vale do Itajaí e de todo o Estado.
O presidente da Fecomércio declarou que nesta terça-feira, 29 de maio, esteve reunido com todas as federações patronais do Estado, deputados, representantes do Ministério Público e Tribunal de Justiça, governador do Estado Eduardo Pinho Moreira e presidente da Assembleia deputado Aldo Schneider. “O objetivo foi discutirmos e pedirmos ao governador que fizesse cumprir as leis porque sempre manifestamos que a paralisação dos caminhoneiros era legítima, mas de domingo para segunda-feira essa paralisação acabou. Ao que está havendo agora somos radicalmente contra, porque o país precisa voltar à normalidade. Nós brasileiros temos o direito de ir e vir, temos direito à alimentação, como sempre tivemos, então eu acredito que após as palavras do governador na reunião, ele vai fazer cumprir a lei. Entendemos que a partir de hoje as coisas vão começar a mudar e acho que nós, as pessoas de bem, temos a responsabilidade de informar nossos vizinhos, nossos contatos, de que o país precisa voltar a produzir, caso contrário, a conta para o brasileiro pagar, vai ser ainda maior. A cada dia que estivermos parados, o ônus vai ser mais pesado”, descreveu Bruno.
Na opinião de Gevaerd, os políticos já receberam o recado de que a população não está contente. “Acreditamos que com o fim da paralisação dos caminhoneiros tudo voltará à normalidade, mas ficou um recado aos senhores governantes, de que é preciso mudar. Foi um susto realmente o que aconteceu. A manifestação começou pacífica e no final tomou um rumo perigoso. O comércio teve um prejuízo muito grande. Em nossa região tivemos muitos colaboradores que não puderam ir ao trabalho diante da falta de combustível, casas que ficaram sem gás de cozinha, indústrias que não puderam trabalhar por falta de insumos. Então, está na hora de cada um retomar suas responsabilidades, ou teremos mais problemas. E que sirva de lição para os governantes”, expôs Marcelo.


Prefeitos e empresários debatem sobre Turismo

Já em Guabiruba, o presidente da Fecomércio, acompanhado pelo professor Marc Knoppe e pelo presidente do Sindilojas, foi recebido pelo prefeito Matias Kohler e por empresários do município. A convite do Sindilojas, os prefeitos de Brusque Jonas Paegle e de Nova Trento, Gian Voltolini, também se uniram ao grupo num almoço no Restaurante Schumacher, para conversar sobre o turismo na região.
Marcelo Gevaerd relembrou que em 2017 foi realizado um encontro com prefeitos e diversas autoridades da região na Fecomércio. “Na oportunidade foram iniciadas tratativas de união dos municípios de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Nova Trento e Gaspar, com o intuito de fortalecer o turismo por aqui. A partir de então, pensamos em vários projetos, até chegarmos a um circuito de Cicloturismo, que abrange outras possibilidades, como caminhadas. A pedido do Sr. Bruno mantivemos este diálogo com as prefeituras, com empresários e também com o Convention Bureau de Brusque, criando uma comissão para amadurecer o projeto. E hoje, reunimos todas as pessoas envolvidas, para apresentar uma proposta de circuito que engloba mais de 200 quilômetros e que vai possibilitar um maravilhoso passeio de até sete dias, por belezas naturais da nossa região. Estamos felizes, porque essa proposta está saindo do papel e podemos contar também com o Senac e o Sesc, para nos auxiliar nesse trabalho de tornar realidade o Cicloturismo por aqui”, salientou Gevaerd, esclarecendo ainda, que quem ficará à frente do projeto a partir de agora é o Convention Bureau.
Para o presidente da Fecomércio, o Cicloturismo vai enriquecer ainda mais a região. “Se trata de uma proposta amparada pelo Sindilojas em parceria com as prefeituras e entidades, que engloba cinco importantes cidades com muitos aspectos a serem explorados e que certamente, será um sucesso. Acredito que com o interesse manifestado pelos prefeitos no encontro de hoje, esse projeto vai atrair um número maior de turistas para a região, proporcionando mais empregos e riquezas aos municípios”, considerou Bruno.
O prefeito de Brusque, Jonas Paegle avalia a iniciativa como positiva. “É necessário debater esse assunto, pois o turismo é fundamental para a cidade de Brusque. Além da área produtora, comércio e negócios, nossa cidade é conhecida pelo turismo religioso, por conta do Santuário de Azambuja. E hoje foi falado sobre o turismo ciclístico pelos municípios de Brusque, Gaspar, Guabiruba, Botuverá e Nova Trento, como também as caminhadas tradicionais que acontecem ao Santuário Santa Paulina. Nesse contexto, temos ainda a Cavalgada a Nova Trento, que era tradicional na cidade e atraía muitas pessoas de fora. Enfim, precisamos incentivar o turismo, porque temos muito a oferecer e inúmeras áreas bonitas para serem visitadas”, disse Jonas.
Para Matias Kohler, prefeito de Guabiruba, o encontro com lideranças e empresários foi bastante produtivo. “Certamente foi um dia de muito aprendizado, de um conteúdo rico dentro dessa aproximação que nós aqui valorizamos muito, entre o poder público e o segmento produtivo privado, e através dessa representatividade das entidades Fecomércio, Sindilojas, AmpeBr, enfim, dos que estavam aqui reunidos, percebemos que temos que somar. E o município de Guabiruba não está fora dessa linha na questão da construção de um turismo regionalizado. Estamos estimulando isso desde 2013, e percebemos que este é o caminho. A economia do país não permite mais que a gente faça para nós de forma isolada. Defendemos a visão de compartilhar os desafios e também os resultados. É isso que está acontecendo”, destacou Matias.
Gian Voltolini, prefeito de Nova Trento, também aposta na união dos municípios. “Quanto mais cidades agregadas, mais pessoas participando e envolvidas com o turismo, mais oportunidades podemos criar para que o turista venha de fato e permaneça na nossa região. Nova Trento já tem os ‘Caminhos de Santa Paulina’ que são as peregrinações, rotas e roteiros que levam ao Santuário. E o Cicloturismo vem ganhando força não só na região, mas no mundo inteiro. Penso que se estivermos um pouquinho na frente dos outros estados, isso será uma vantagem enorme, que nos potencializa para sermos pioneiros nesse segmento. Estamos avançando as conversas com os municípios o que é um sinal positivo à medida que vai trabalhando e tirando a ideia do papel. Então foi muito produtiva e importante esta reunião. Estamos no caminho certo”, considerou.

Missões
Ainda durante o encontro que debateu o turismo regional, o presidente da Federação do Comércio fez o convite para uma nova Missão Técnica da entidade. “Agora no mês de junho, teremos uma programação com visitas a cervejarias artesanais e vinícolas da República Tcheca. Temos quatro vagas disponíveis aos municípios interessados em enviar representantes. Em outubro teremos a Missão ao Vale do Silício e possivelmente em setembro, faremos também uma Missão à Grécia, para troca de informações exclusivamente na área do turismo, sendo que também colocaremos convites à disposição das cidades aqui da região”, comentou Breithaupt.

Qualificação
Por fim, o presidente da AmpeBr – Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região, Ademir José Jorge, que também esteve presente no encontro, manifestou preocupação com a escassez de mão de obra qualificada na área do vestuário, em especial, de costureiras. “Apesar de ser um encontro voltado ao turismo, e considerando que nossa região também é forte no turismo de compras, estamos preocupados com a falta de costureiras no mercado, que tende a se agravar no futuro. Precisamos fazer algo, para garantir a mão de obra qualificada nessa área. Por isso, aproveitando a presença do Senac, através de sua diretora em Brusque, Ana Cristina Heil Belli e do seu diretor estadual, Rudney Raulino, gostaria de propor uma parceria da entidade com a AmpeBr, no sentido de promover cursos de corte e costura aos nossos associados”, sugeriu Ademir.
A diretora do Senac Brusque, Ana Cristina Heil Belli, observou que a entidade já promove cursos de qualificação na área e se colocou à disposição do presidente da AmpeBr para conversarem sobre uma futura parceria.

Empresário Bruno Breithaupt marcou presença no evento Pós NRF e cumpriu agenda com autoridades e empresários, na quarta-feira, 30 de maio
Leia +
Fevereiro
Sindilojas entrega Troco Solidário para Rede Feminina de Combate ao Câncer
08/02/2018
Voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brusque, estiveram na sede do Sindilojas na tarde de quarta-feira, 7 de fevereiro, para receber os recursos arrecadados com a campanha Troco Solidário, promovida pelo Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba.
A presidente da Rede Feminina, Rainilda Lunardelli Zucco, juntamente com a vice-presidente Naildes Schmitt e a tesoureira Sônia Araújo, recebeu o cheque simbólico no valor de R$ 2.008,14 das mãos do presidente do Sindilojas Marcelo Gevaerd. “Essa doação é muito significativa pois ajuda no custeio da manutenção e pagamento dos funcionários. Nossa despesa mensal passa de R$ 20 mil e atualmente não recebemos nenhum recurso do Poder Público. Atendemos em média 400 mulheres por mês, fazemos exames preventivos de colo de útero e o encaminhamento de 100 mamografias mensalmente. Por isso, a ajuda da comunidade é o que mantém a entidade. Agradecemos de coração a população de Brusque e região que sempre apoia nossos eventos, como o chá da Rede, a macarronada, pedágio, brechó, bingo, rifa e colabora com as campanhas de troco solidário”, declarou Rainilda.
Para o presidente do Sindilojas, Marcelo Gevaerd, é uma grande alegria poder ajudar a Rede Feminina. “Quero agradecer ao povo de Brusque que contribuiu. Foram muitas moedas que somaram o montante de pouco mais de R$ 2 mil e isso demonstra que muitas pessoas ajudaram. Esta foi a terceira entrega que fizemos do Troco Solidário e a quarta edição da campanha irá contemplar a entidade Anjos do Peito. Temos 50 caixinhas distribuídas em diversos estabelecimentos comerciais e esperamos que até o mês de junho, a população continue contribuindo para beneficiar mais essa importante instituição da cidade”, destacou Marcelo.
A coordenadora técnica do Instituto Catarinense Anjos do Peito, Angelina Lucia Tarter observa que as entidades sem fins lucrativos sempre enfrentam dificuldades para manter as atividades. “Tudo que recebemos é muito bem-vindo e de pouco em pouco vamos seguindo em frente. Essa oportunidade de ser beneficiado com a próxima edição do Troco Solidário do Sindilojas é importante para nós e esperamos que a comunidade colabore pois vai nos ajudar significativamente”, considera a representante da entidade Anjos do Peito.


Entidade recebeu o valor de R$ 2.008,14 do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba na tarde de quarta-feira, 7 de fevereiro
Leia +
Entidades defendem regularização de vendedores ambulantes no município
07/02/2018
CDL, ACIBr e Sindilojas se manifestaram a favor da regulamentação dos vendedores ambulantes de forma geral, não apenas do segmento alimentício

Na tarde desta terça-feira, 6 de fevereiro, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Brusque – CDL Brusque, Fabrício Zen, o presidente da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), Halisson Habitzreuter, e o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba (Sindilojas), Marcelo Gevaerd, participaram de uma coletiva de imprensa para falar sobre o posicionamento das entidades em relação aos vendedores ambulantes no município, em especial os de alimentos.
Na oportunidade as entidades reforçaram que não são contra este tipo de atividade, entretanto defendem que ela seja fomentada e regulamentada. Além disso, reforçaram que há tempos cobram do poder público municipal uma lei, não especificamente de alimentos, mas sim para regulamentar o comércio ambulante de produtos de forma geral.

Como recentemente o Ministério Público solicitou à Prefeitura de Brusque um posicionamento em relação à regularização dos ambulantes de alimentos, as entidades sugeriram para a Prefeitura que, em um primeiro momento, a venda de alimentos possa ser realizada, desde que seja em áreas privadas.
“Em dezembro de 2017, foi aprovada a Lei nº 271, pela Câmara de Vereadores, que fala sobre os ambulantes. Se a fiscalização for seguir essa lei, como ela está hoje, nenhum ‘Cachorrão’ pode funcionar na cidade, em via pública. Sabemos que as nossas vias públicas hoje não têm condições de atender essa demanda, já que o número de vendedores de alimentos aumentou muito nos últimos anos. Por isso, defendemos que a venda de alimentos possa ser realizada, desde que seja em áreas privadas. Dessa forma, seria mantida uma concorrência de forma leal, com quem também têm estabelecimentos já regulamentados”, comentou na oportunidade Zen.

Da mesma forma, o presidente da ACIBr manifestou o desejo das entidades de que não haja ocupação irregular dos espaços públicos. “Como, em um primeiro momento não existe regulamentação de área pública, acreditamos que essa atividade só deve ser realizada em locais privados. Somos a favor da regulamentação e definição, de quais as ruas ou praças que vão ser permitidos esse comércio, os tipos de produtos, enfim. Isso tem que ser feito”, frisou.
Segundo Habitzreuter a regulamentação específica também irá contribuir para o crescimento dos comerciantes, que terão a segurança do seu negócio. “Queremos que esse tipo de comércio prospere, contribua para a cidade, obedeça as normas, de forma ordenada e com concorrência leal. Que isso gere uma cadeia econômica de prosperidade. E é isso que queremos, que essa forma de ocupação seja organizada”, acrescentou.

O presidente do Sindilojas também reforçou o trabalho das entidades na busca da regulamentação, e que em 2017 as entidades estiveram reunidas com o poder público municipal, bem como os vereadores, para discutir sobre o tema. “A própria Fecomércio se reuniu com a Câmara de Vereadores de Brusque e apresentou leis de outros municípios sobre o assunto, como modelo, do que poderia ser feito aqui. De qualquer forma queremos frisar que também nos colocamos à disposição para auxiliar no que for necessário, pois o que defendemos é uma cidade pujante e ordeira. E o que pedimos nesse momento é que haja regulamentação para qualquer tipo de ambulante”, complementou.

Comercialização de alimentos em praças
Em relação à ideia da Prefeitura de Brusque em utilizar praças com locais específicos para a comercialização de alimentos, as entidades acreditam que o tema tem que ser discutido, já que será necessário definir, por meio do decreto, quais serão as praças que receberão esses vendedores, como os locais voltados para isso serão locados, a forma de comercialização desses espaços - se será por licitação ou não, em quais horários serão permitidos a venda de alimentos, que tipos de alimentos poderão ser manipulados e consumidos no local, os alvarás necessários para funcionamento, entre outras questões. “Outra preocupação é que sabemos que hoje a prefeitura de Brusque tem poucos fiscais para atender a demanda que existe em nossa cidade. Esperamos também que além da regulamentação, possamos contar com mais profissionais para executar esse trabalho”, completou o presidente da CDL Brusque.

Leia +
Janeiro
Sindicatos Patronais de Brusque pedem apoio a empresários
25/01/2018

Os presidentes de quatro sindicatos patronais de Brusque estiveram reunidos na manhã de quinta-feira, 25 de janeiro, no Centro Empresarial de Brusque, para conceder uma entrevista coletiva à imprensa, oportunidade em que fizeram um apelo aos empresários, para que não deixem de pagar a contribuição sindical patronal, que anualmente vence no dia 31 de janeiro.
Fernando José de Oliveira do Sinduscon (Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque), Marcelo Gevaerd do Sindilojas (Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Guabiruba e Botuverá), Marcus Schlösser do Sifitec (Sindicato Patronal Têxtil de Brusque, Botuverá e Guabiruba) e Rita Cassia Conti do Sindivest (Sindicato Patronal das Indústrias do Vestuário de Brusque e Região), manifestaram preocupação com o futuro das entidades representativas.
Fernando José de Oliveira observou que apesar de a contribuição não ser mais obrigatória, a receita advinda dela é essencial para manter as atividades do sindicato. “Lembramos que somos uma entidade sem fins lucrativos, a diretoria não é remunerada e nossa finalidade é lutar pelo melhor para as empresas que representamos. Se a contribuição realmente for extinta, vamos ter que reinventar o sindicato ou deixar que o associativismo se acabe. Por isso, o Sinduscon vai enviar a guia para todos os associados e orientar para que os pagamentos sejam feitos. Precisamos que mais empresários apoiem esse trabalho e se envolvam, porque não adianta só lamentar e reclamar quando não há avanços para a classe”, declarou o presidente do Sinduscon.
Marcelo Gevaerd destacou que o objetivo dos sindicatos é defender as empresas as quais representam e que as grandes conquistas de cada setor, são conquistadas por intermédio do associativismo. “Se não tivermos o apoio dos empresários, não sabemos como será daqui pra frente. Corremos o risco de ter que extinguir o sindicato e vir a ser representado por associações de outras cidades, com realidades diferentes da nossa. Infelizmente, é muito comum algumas pessoas enxergarem os sindicatos como oportunistas, como algo para se aproveitar das empresas, mas isso realmente não condiz com nossas estruturas, que são bem enxutas e cujo trabalho da diretoria é voluntário. Deixo o apelo para que as empresas continuem contribuindo, para que possamos manter a classe unida e fortalecida. Com um pouco de cada um, conseguiremos seguir com nosso trabalho. Hoje o Sindilojas representa mais de cinco mil empresas em Brusque, Guabiruba e Botuverá, e temos apenas cerca de 50 associados”, relatou o presidente do Sindilojas.
Marcus Schlösser reforçou que a contribuição sindical equivale a cerca de 50% das receitas dos sindicatos patronais. “Caiu a obrigatoriedade do pagamento da contribuição sindical, mas as atribuições dos sindicatos permanecem. Ou seja, houve uma mudança sem ter sido promovida uma discussão sobre o assunto, ou um planejamento de como ficariam as obrigações dos sindicatos, sem essa receita. Nosso apelo é no sentido de os empresários continuarem apoiando nosso trabalho. Vivemos numa região privilegiada onde o dinheiro arrecadado por meio da contribuição sindical patronal é aplicado em melhorias para a classe. Inclusive, em nossa região, os sindicatos dos trabalhadores também prestam uma importante assistência em saúde, da qual o Estado não consegue dar conta”, alertou o presidente do Sifitec.
Por fim, Rita Cassia Conti considerou que o pagamento opcional da contribuição sindical pode provocar o enfraquecimento dos sindicatos. “Nosso desejo é de que os empresários não vejam essa contribuição como mais um imposto que não traz retorno para as empresas. Pelo contrário, essa contribuição é fundamental para fortalecer e manter o setor unido. Cada sindicato patronal tem trabalhado fortemente para alcançar novas conquistas para todos. Então nosso apelo é para que os empresários não deixem de contribuir, se associem e estejam mais envolvidos nas atividades dos sindicatos”, frisou a presidente do Sindivest.
A contribuição sindical patronal, que é calculada conforme o capital social de cada empresa, era obrigatória e passou a ser facultativa após a Reforma Trabalhista.


Presidentes das entidades fizeram apelo em prol do pagamento da contribuição sindical patronal, durante entrevista coletiva na manhã de quinta-feira, 25 de janeiro
Leia +
Sindilojas participa da maior feira de varejo do mundo
17/01/2018
Entre os dias 10 e 19 de janeiro, cinco empresários brusquenses embarcaram com a Fecomércio/SC e o Senac/SC na Missão Técnica New York 2018. O Sindilojas Brusque integra a comitiva que, pelo sétimo ano consecutivo, leva os participantes para vivenciar na Big Apple uma semana de imersão no atacado e varejo, com visitas técnicas em empresas de referência mundial nos segmentos e a participação na 107ª edição da Retail’s Big Show, a maior feira de varejo do mundo, promovida pela National Retail Federation (NRF). Além disso, mais 10 empresários brusquenses também estão no local prestigiando o evento.
Durante os três dias de feira foi possível conhecer as últimas tendências, tecnologias e soluções para o varejo e aprender sobre estratégias e boas práticas com profissionais reconhecidos internacionalmente, como Martin Barthel, do Facebook; Spencer Fung, da Li & Fung; Arianna Huffington, do Huffington Post; Marne Levine, do Instagram, entre outros. Ao todo, são mais de 35 mil participantes de 95 países, 600 expositores e mais de três mil empresas presentes, com ênfase nos líderes do varejo, tecnologia, negócios e inovação.
“Muitas pessoas acreditam que as lojas online vão acabar com as lojas físicas. Mas o que estamos vendo aqui em Nova York é exatamente o contrário. A loja física está viva, mas, como o americano diz, é preciso que ela crie experiências para encantar o cliente”, afirma o empresário Marcelo Gevaerd, presidente do Sindilojas Brusque, que pela terceira vez participa do evento com recursos próprios.
Segundo ele, quem passou pelo local agora reconhece o valor de se manter em permanente desafio. “É preciso ter coragem para testar algo diferente. Claro, o empresário pode errar. Mas essa também é a chance para acertar”, observa.
Para Gevaerd, é motivo de alegria acompanhar empresários de Brusque e região nesta empreitada de sucesso, inspirada nas tendências mundiais de negócios. “Convido os demais empresários para que participem desta missão em 2019. É importante conhecer as novidades lançadas aqui e o Brasil, depois do Canadá, é o segundo país com maior participação no evento”, pontua o presidente do Sindilojas Brusque.
Em breve serão abertas as inscrições para a oitava edição da comitiva catarinense no evento, em janeiro de 2019. Mais informações pelo telefone (48) 3251-0319 ou pelo e-mail missaony@sc.senac.br.

Presidente da entidade integra comitiva catarinense em evento que reúne 15 empresários de Brusque
Leia +
Dezembro
Câmara Setorial de Óticas promove campanha de conscientização
07/12/2017
Chamar atenção para os cuidados com a saúde ocular e para o cumprimento das regras que regulamentam a venda de produtos ópticos é o objetivo da Câmara Setorial de Óticas, vinculada ao Sindilojas, e da Vigilância Sanitária de Brusque, através de uma ação de conscientização que iniciou nesta semana.
Por meio de uma campanha em outdoors, mídias sociais e panfletos, a Câmara de Óticas visa alertar a população quanto à importância de usar produtos ópticos de boa procedência. “Nossa maior preocupação é garantir a comercialização de produtos de qualidade, que assegurem a saúde visual dos consumidores. Hoje já existe uma fiscalização nas óticas, que é quem trabalha diretamente com produtos ópticos, mas gostaríamos que a orientação e fiscalização fossem ampliadas para todos os estabelecimentos que vendem qualquer tipo de produto óptico, especialmente óculos de sol, por sabermos que há muitos produtos falsificados e de má qualidade, que prejudicam significativamente a saúde ocular”, destaca o coordenador da Câmara de Óticas, Cesar Busnardo Júnior.
O vice-coordenador da Câmara, André Kohler, salienta que muitas pessoas têm comprado óculos de sol mais pensando na questão estética do que na saúde. “Até mesmo as crianças acabam usando óculos com lentes plásticas, que a longo prazo, podem representar um grande risco para os olhos”, declara André.

Regulamentação
Há um ano, em dezembro de 2016, passou a vigorar em Santa Catarina o Decreto 992 que regulamenta a comercialização de produtos ópticos, entretanto, muitos lojistas ainda não têm conhecimento das novas regras que devem ser seguidas. Por isso, a proposta da Vigilância Sanitária é fazer uma vistoria pelo comércio em geral, para verificar e orientar quanto à comercialização de óculos.
“A ideia é fazer uma fiscalização não só nas óticas, mas principalmente, em outros tipos de estabelecimentos que também vendem produtos ópticos, para primeiramente, checar se as regras vêm sendo cumpridas e esclarecer sobre os procedimentos que devem ser respeitados. Inicialmente vamos fazer um trabalho de orientação para coibir a venda de óculos com procedência duvidosa e de má qualidade, e posteriormente, vamos autuar, conforme a Lei, os estabelecimentos que não se adequarem”, observa a coordenadora da Vigilância Sanitária de Brusque, Lucie Hertha Hilbert.

Ação em parceria com a Vigilância Sanitária prevê campanha midiática de conscientização e vistoria nos estabelecimentos que comercializam produtos ópticos
Leia +
Rota de Cicloturismo na região começa a ser mapeada
05/12/2017
A criação de uma rota de Cicloturismo na região foi tema de encontro realizado na manhã desta segunda-feira, 4 de dezembro, no Biergarten Bioleben, em Guabiruba. O assunto já havia sido debatido em reunião no mês de outubro com representantes dos municípios de Brusque, Botuverá, Gaspar, Guabiruba e Nova Trento, ocasião em que ficou acordado o interesse das cinco cidades em participar do projeto e o início de uma análise técnica e identificação dos recursos naturais e religiosos que poderiam integrar o roteiro.
O ciclista Ivo Leonardo Schmitz, membro do Clube de Cicloturismo do Brasil e da ASSEPAVI – Associação de Ecoturismo, Preservação e Aventura do Vale do Itajaí, apresentou aos participantes uma ideia de roteiro. “A reunião foi produtiva pois reunimos representantes das cidades envolvidas nesse projeto para conversar sobre a definição do percurso, por áreas não urbanas, buscando atrativos naturais, culturais e comerciais. E a próxima etapa é fazer a apresentação dessa rota para o poder público e iniciativa privada, para que avaliem os benefícios de fazer parte desse projeto e investirem nesse trabalho para que tenhamos uma evolução daqui em diante”, descreve Leonardo.
De acordo com o presidente do Sindilojas, Marcelo Gevaerd, a ideia é reunir autoridades, entidades e empresários para buscar apoio ao projeto. “Já temos uma prévia do roteiro e o Cicloturismo certamente será um grande diferencial para nossa região, que vai explorar os atrativos de cada cidade. Além do ciclismo também podemos criar rotas religiosas e de caminhada, sendo que a parceria de entidades, empresas e poder público é fundamental para fortalecer essa iniciativa”, destaca Marcelo.
O secretário executivo do Vale dos Teares Convention & Visitors Bureau, Sidnei Dematé, observa que a entidade estará engajada para viabilizar o Cicloturismo na região. “O Convention vai ser um dos gestores desse projeto e irá angariar fundos para a gestão e manutenção do circuito. Seremos parte de um todo porque sozinho não é possível fazer nada. Acreditamos que outros parceiros irão abraçar essa ideia para que possamos tirar o projeto do papel e fortalecer o turismo da região, elevando o nome das cinco cidades envolvidas”, considera Sidnei.
Durante o encontro que contou com a participação de representantes dos municípios de Guabiruba, Brusque, Nova Trento, Botuverá e Gaspar, ficou definido que empresários, entidades e poder público, serão convidados para uma reunião no mês de fevereiro de 2018, que terá o SESC como local, para apresentação do Circuito de Cicloturismo na região.

Reunião realizada na manhã desta segunda-feira, 4 de dezembro, definiu estratégias para viabilizar circuito que integra os municípios de Brusque, Botuverá, Gaspar, Guabiruba e Nova Trento
Leia +
Outubro
Lojistas participam de reunião com Câmara de Óticas e Vigilância Sanitária
19/10/2017
Um encontro promovido pela Câmara de Óticas do Sindilojas em parceria com a Vigilância Sanitária, reuniu lojistas na noite de terça-feira, 17 de outubro, para uma conversa em torno do Decreto 992, que regulamenta a comercialização de produtos ópticos em Santa Catarina. Durante a reunião, Thiago Martins, da Divisão de Relações Institucionais e Governamentais da Fecomércio, apresentou a nova legislação aos participantes e sanou dúvidas dos presentes.
O coordenador da Câmara de Óticas, Cesar Burnardo Júnior salienta que o encontro promovido juntamente com a Vigilância Sanitária, setor de Tributação, Sindióticas e Sindilojas, visa orientar e sanar as dúvidas dos lojistas que comercializam produtos ópticos. “É uma questão de saúde visual, precisamos proteger nossa visão, pois só quando se começa a perdê-la é que se presta atenção, porém requer um cuidado contínuo. Desde criança é preciso cuidar para não ter problemas sérios no futuro, e por isso, esse trabalho de conscientização deve ser realizado tanto com quem comercializa os produtos, como com a população que faz uso deles. A ação que estamos planejando vai iniciar com a orientação para que depois a Vigilância passe a exigir os cumprimento das normas por parte dos estabelecimentos que comercializam qualquer tipo de produto óptico, especialmente, óculos de sol”, esclarece Júnior.
A coordenadora da Vigilância Sanitária de Brusque Lucie Hertha Hilbert, reforça que o papel do órgão é promover e proteger a saúda da população. “A forma mais fácil de fazer isso é por meio de parcerias. Eu sozinha não consigo nada, mas várias pessoas juntas podem conseguir muita coisa. E temos conseguido bons resultados nos trabalhos realizados em parceria. Neste caso, a Câmara de Óticas deve iniciar uma campanha de conscientização, onde vamos precisar também do apoio da imprensa, para divulgar a nova legislação e ajudar as pessoas a se conscientizarem, e depois vamos realizar vistorias nas lojas para orientar os comerciantes quanto ao cumprimento das normas”, descreve Lucie.
Para o presidente do Sindióticas – Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico do Estado de Santa Catarina, Elon Grendene, o encontro promovido na noite de terça-feira, 17, ajuda a fortalecer o setor ótico, mas principalmente, garantir a saúde visual das pessoas. “O que queremos é combater a pirataria e os óculos de má qualidade que não possuem nenhuma proteção eficaz para os olhos. Os óculos devem vir de fábrica com certificado de qualidade e nota de procedência, então qualquer loja que queira vender apenas óculos de sol, por exemplo, tem que garantir um produto de qualidade aos seus clientes”, alertou Elon.
O comerciante Valdeci Barni, que é proprietário da loja Life Surf Wear, avalia a iniciativa como positiva. “Há uns 15 anos em uma entrevista na rádio, eu falei que as pessoas não deviam comprar óculos pirata, porque prejudicam os olhos e um lojista do camelô quis tirar satisfação e ficou chateado comigo, mas na verdade, alguns comerciantes querem ganhar dinheiro sem se importar com a qualidade do produto. Na minha loja, vendo três marcas conceituadas que possuem selo de qualidade, mas muitos vendem sem se preocupar e muita gente tem a cultura de aderir ao falsificado, por isso, essa ação de conscientização que está sendo planejada pela Câmara de Óticas é muito boa”, considera Barni.
O presidente do Sindilojas – Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Marcelo Gevaerd, destaca que o encontro atingiu o objetivo de esclarecer e sanar dúvidas dos lojistas. “Essa foi a primeira de algumas ações que serão realizadas pela Câmara de Óticas em parceria com outras entidades, a fim de fazer com a legislação seja de conhecimento de todos e que seja cumprida, para além de garantir a saúde dos olhos, acabar com a concorrência desleal e fortalecer o comércio da cidade”, conclui Marcelo.


Encontro realizado na noite de terça-feira, 17 de outubro, abordou legislação que regulamenta a venda de produtos ópticos em Santa Catarina
Leia +
Cicloturismo é tema de reunião sobre desenvolvimento turístico na região
13/10/2017
A criação de um roteiro de Cicloturismo que integre os municípios de Brusque, Guabiruba, Gaspar, Botuverá e Nova Trento foi tema de reunião na tarde de quarta-feira, 11 de outubro, na sede do Sindilojas, em Brusque.

O presidente do Sindilojas – Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba, Marcelo Gevaerd, observa que a discussão em torno do turismo na região, teve início quando prefeitos e representantes de entidades, foram convidados para participar de um encontro na sede da Fecomércio, em Florianópolis. “Lá foi lançada a proposta de unir esses municípios para fomentar o turismo regional no Vale do Itajaí e hoje estivemos reunidos para falar sobre Cicloturismo. Daqui a alguns dias teremos uma nova reunião, onde vamos chamar os prefeitos para apresentar propostas a fim de viabilizar um projeto de Cicloturismo e esperamos que os gestores aceitem a ideia de que uma região é muito mais forte que uma cidade só”, declara Marcelo.

Norberto Mette, da Diretoria de Turismo de Gaspar, ressalta que o Cicloturismo é um setor que está em crescimento e que o desenvolvimento turístico deve acontecer de forma regional. “Percebemos com esse encontro que os municípios vêm trabalhando isoladamente e precisam realizar um trabalho integrado. Esse segmento de turismo requer uma ação regionalizada e essa reunião serviu para começar a discutir circuitos regionais. Vimos que há iniciativas de grupos em cada cidade e temos que reunir esse pessoal. A tendência é sempre cobrar do poder público a organização disso, mas não cabe só ao poder público. Ele tem sim que orientar, apoiar, estimular, proporcionar a estrutura básica necessária, mas o turismo é um negócio, que gera receita, empregos, gira a economia e é uma atividade tipicamente privada, por isso, devemos estimular os empreendedores a criar novos atrativos”, opina Norberto.

O gerente do SESC de Brusque, Edemar Alessio, também reforça a necessidade de trabalhar de forma integrada. “É evidente que os municípios devem ter o mesmo foco e que precisamos trabalhar juntos para fomentar o turismo regional e atrair mais pessoas adeptas do Cicloturismo. A riqueza da nossa região é incomparável e temos que aproveitar isso da melhor forma, cuidando sempre para que os projetos propostos atendam os pré requisitos da sustentabilidade”, observa Edemar.

O representante do Clube de Cicloturismo do Brasil e da ASSEPAVI – Associação de Ecoturismo, Preservação e Aventura do Vale do Itajaí, Ivo Leonardo Schmitz, manifestou-se satisfeito com a iniciativa. “Vejo como positivo esse encontro, porque esse projeto não está partindo somente do poder público. Tem o setor privado envolvido e entidades de classe, como o Sindilojas, usuários da bicicleta de diferentes cidades e por isso, esse projeto está começando com o pé direito, visando um desenvolvimento mais participativo para se alcançar sucesso num circuito regional, que evidencie os atrativos de cada cidade e atraia um público maior. A partir dessa reunião, vamos fazer uma análise técnica e identificar os recursos naturais e religiosos de cada cidade que podem ser incluídos no roteiro, para depois, iniciar uma segunda fase desse planejamento em prol do Cicloturismo na região”, considera Ivo Leonardo.
Participaram ainda do encontro, Andrei Muller, da Diretoria de Turismo de Guabiruba; Jussinei Sartori, do SESC; Mara Vieira Nass, do SENAC; Jonas Junckes e Valmor Vargas, da Diretoria de Turismo de Gaspar; João Fachini e Salvio Tonini, da Secretaria de Cultura e Turismo de Nova Trento; e Sidnei Demate, do Brusque Convention Bureau.

Representantes dos municípios de Brusque, Guabiruba, Gaspar e Nova Trento estiveram reunidos na tarde de quarta-feira, 11 de outubro, no Sindilojas
Leia +
Presidente do Sindilojas Brusque participa de comemorações dos 83 anos da ACIBr
13/10/2017
O presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba (Sindilojas), Marcelo Gevaerd, esteve presente na noite do dia 9 de outubro no evento de comemoração dos 83 anos da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr). A solenidade, realizada na Sociedade Beneficente, reuniu mais de 500 pessoas, entre lideranças empresariais, políticas, civis, militares, imprensa e convidados, que acompanharam a posse da nova Diretoria Executiva, Conselhos Deliberativo e Fiscal da ACIBr, e ainda os coordenadores dos seus 22 Núcleos Setoriais.
O público prestigiou a posse do empresário Halisson Habitzreuter, que assume o comando da gestão 2017-2019, dando sequência aos trabalhos por ele iniciados no biênio 2015-2017.

O Sindilojas Brusque parabeniza a Diretoria da ACIBr pela nova gestão!

Leia +
Setembro
Câmara de Óticas de Brusque e Vigilância Sanitária planejam ação de conscientização
19/09/2017
Integrantes da Câmara de Óticas de Brusque, ligada ao Sindilojas, estiveram reunidos com servidores da Vigilância Sanitária na manhã de terça-feira, 19 de setembro, oportunidade em que conversaram sobre o comércio de produtos ópticos, especialmente, de óculos de sol, por estabelecimentos de Brusque.
O coordenador da Câmara de Óticas, Cesar Busnardo Júnior, observou que o Decreto 992, de dezembro de 2016, regulamenta a comercialização de produtos ópticos em Santa Catarina e que muitos lojistas não têm conhecimento das regras que devem ser seguidas. “Nossa maior preocupação é garantir a comercialização de produtos de qualidade, que assegurem a saúde visual dos consumidores. Hoje já existe uma fiscalização nas óticas, que é quem trabalha diretamente com produtos ópticos, mas gostaríamos que a orientação e fiscalização fosse ampliada para todos os estabelecimentos que vendem qualquer tipo de produto óptico, especialmente, óculos de sol, por sabermos que há muitos produtos falsificados e de má qualidade, que prejudicam significativamente a saúde ocular”, alerta o coordenador da Câmara de Óticas.
O vice-coordenador da Câmara, André Kohler, salienta que é preciso checar se os óculos comercializados pelo comércio em geral, garantem a proteção dos olhos. “Vemos que muitas pessoas têm comprado óculos de sol mais pensando na questão estética, do que na saúde. Até mesmo as crianças, acabam usando óculos com lentes plásticas, que a longo prazo, podem representar um grande risco para os olhos”, declara André.

Conscientização
Para o presidente do Sindilojas – Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Marcelo Gevaerd, o objetivo da Câmara de Óticas é fazer um trabalho de conscientização em parceria com a Vigilância Sanitária, no sentido de garantir que a saúde visual do consumidor não seja prejudicada, e garantir também uma concorrência leal entre os comerciantes. “Precisamos inicialmente orientar os lojistas que não estão atendendo as normas legais, e solicitar que se adequem. Por isso, o Sindicato apoia essa iniciativa e convoca os lojistas para que participem do encontro que vai ser promovido pela Câmara de Óticas e pela Vigilância”, destaca Marcelo.
A coordenadora da Vigilância Sanitária de Brusque Lucie Hertha Hilbert e os fiscais Leandro de Souza Andregtoni e Ricardo Alexandre Luebke, reconhecem que muitos lojistas desconhecem as normas, e que é importante fazer um trabalho de conscientização. “Estamos à disposição para esclarecer os procedimentos que devem ser respeitados por quem trabalha com produtos ópticos e para planejar uma ação posterior, que venha coibir a venda de óculos com procedência duvidosa e de má qualidade”, considera Lucie.
Para dar início ao trabalho de conscientização, a Câmara de Óticas de Brusque e a Vigilância Sanitária irão promover um encontro, que deve contar também com a participação de servidores do setor de Tributação da Prefeitura, para orientar lojistas de diferentes segmentos do comércio brusquense, que comercializem produtos ópticos, como por exemplo, lojas de roupas que vendem óculos de sol. A reunião será realizada no dia 17 de outubro, às 19h30, na sede do Sindilojas, anexo ao Centro Empresarial de Brusque.

Leia +
Sindilojas Brusque participa da 4ª Fairtec
14/09/2017
A 4ª edição da Feira Tecnológica da Construção Civil – FAIRTEC 2017 teve início na noite de ontem, 13 de setembro, e contou com a presença de diversas autoridades do município e região. Na oportunidade, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba (Sindilojas), Marcelo Gevaerd, marcou presença no evento, que este ano tem como tema com o tema “Inovações Tecnológicas e Sustentabilidade”.
Mais de 100 expositores estarão reunidos até domingo, demonstrando aos visitantes os lançamentos em tecnologia e serviços, indústria e equipamentos em geral, além de uma mostra de paisagismo e tendências em móveis.
O Sindilojas participa do evento pela segunda vez, em um espaço montado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) de Santa Catarina, divulgando as ações do sindicato, e dividindo espaço com os integrantes da federação, Sesc e Senac.
“Participamos já da terceira edição da Fairtec e agora desta quarta edição, representando a Fecomércio junto com o Sesc e Senac. Para nós é muito importante estarmos aqui, a feira é importantíssima para Brusque e temos aqui vários empresários da área do comércio. Por isso precisamos estar presentes para mostrar o que é a Fecomércio, o Sindilojas e com certeza a feira trará muita visibilidade à entidade”, avalia Gevaerd.
Segundo o presidente do SINDUSCON de Brusque, Fernando José de Oliveira, a Feira é uma excelente forma de troca de informações entre os próprios expositores. “A cada edição, a FAIRTEC fica ainda mais conceituada e isso tem aumentado o interesse do público, que vem das mais diversas regiões do Estado para conferir as atrações do evento”, ressalta.
O evento, que ocorre a cada dois anos, já reuniu cerca de 38 mil visitantes, e na terceira edição, em 2015, gerou mais de R$ 10 milhões de retorno aos expositores. A responsável pela organização da Feira, Rosângela Andrade, conta que a expectativa é de ultrapassar o volume de negócios gerados na última edição e chegar a algo próximo a R$ 15 milhões.

Novidades
A FAIRTEC promete muitas novidades e lançamentos para a edição 2017. A 4ª edição da Feira apresenta aos visitantes um apartamento de 83 metros quadrados totalmente mobiliado com duas suítes, climatizado e automatizado, reproduzido em um estande com espaço total de 120m². Além deste diferencial, o evento contará com tecnologia de ponta e projetos com a energia fotovoltaica, que é a energia obtida por meio da conversão direta da luz em eletricidade (Efeito Fotovoltaico). A célula fotovoltaica é um dispositivo fabricado com material semicondutor, unidade fundamental desse processo de conversão.
Durante a FAIRTEC 2017 também serão realizadas palestras técnicas sobre temas relacionados à construção civil. Ademir José Pereira, presidente da comissão organizadora, comenta que a FAIRTEC já se tornou um dos maiores eventos do setor da região Sul do Brasil. “Nesta edição, os visitantes poderão conferir muitos lançamentos e novidades nas áreas de imóveis, móveis, decorações e tecnologia. A FAIRTEC também será uma ótima oportunidade para a aquisição de conhecimentos por meio de palestras e workshops que farão parte da programação”, afirma.
Paralelamente à Feira, voltada à construção civil, acontecem o 4º Salão do Imóvel e a 4ª Mostra de Móveis e Decorações, onde fabricantes, construtoras e imobiliárias apresentarão aos visitantes as novidades, os lançamentos e as tendências no segmento.

FAIRTEC 2017
Data: de 13 a 17 de setembro de 2017
Local: Centro de Eventos Maria Celina Vidotto Imhoff (Pavilhão da Fenarreco), em Brusque (SC). Mais informações: www.fairtec.com.br ou facebook.com/Fairtec.



Feira teve início na noite de ontem e segue até domingo, 17
Leia +
Agosto
Sindilojas Brusque reúne lideranças para discutir turismo da região
22/08/2017
O Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba (Sindilojas) realizou na noite de ontem, 15 de agosto, encontro com lideranças e representantes dos poderes públicos dos municípios da região, para discutirem alternativas de promoção do turismo.
A reunião foi realizada no auditório do Sindilojas e dá sequência aos trabalhos iniciados na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) de Santa Catarina, em Florianópolis, no dia 26 de julho. Participaram do encontro de ontem lideranças e empresários de Brusque, Guabiruba, Gaspar e Nota Trento. Na oportunidade, foi formado o Comitê de Turismo Sindilojas-Fecomércio com representantes dos quatro municípios, sendo que o convite será estendido à cidade de Botuverá.
Na oportunidade todos os participantes enalteceram a importância da união de forças em prol do desenvolvimento turístico da região. Além disso, ressaltaram a necessidade de treinamento e capacitação constante dos profissionais que atuam nos comércios, em todas as áreas, para que estejam não só preparados para receber os turistas, bem como passar informações sobre sua cidade e os municípios vizinhos.
O presidente do Brusque Jeep Clube e do Turismo Religioso de Santa Catarina, Vilmar Walendowsky, enalteceu a necessidade de decidirem um nome para divulgação da região. O diretor de Turismo de Gaspar, Norberto Mette, frisou que o primeiro passo seria listar os produtos turísticos já existentes, para iniciar essa divulgação. “Nós sabemos que o potencial turístico das cidades é muito grande, porém, quais os produtos turísticos que temos, que efetivamente possuem infraestrutura para recebermos turistas”, indagou.

Comunidade preparada
O diretor de Turismo de Gaspar e o secretário de Turismo de Nova Trento, Salvio Osmar Tonini, também ressaltaram a necessidade da própria população estar preparada para o turismo, entender que é necessário o desenvolvimento da região e receber os visitantes de portas abertas.
Para o reitor do Centro Universitário de Brusque – Unifebe, Günther Lother Pertschy, é preciso tratar o turismo de forma profissional. Na oportunidade o reitor citou o exemplo do município de Treze Tílias, localizado no oeste catarinense, e que tem como o turismo um grande negócio. Além disso, na análise de Pertschy, embora o turismo tenha que ser alavancado pela iniciativa privada, é papel do poder público facilitar esse processo, proporcionar infraestrutura, entre outras melhorias e incentivos, já que a cidade inteira ganhará com isso.
A empresária de Guabiruba, Fernanda Kormann, que recentemente empreendeu no comércio de souvenirs do município, comentou sobre o trabalho de convencimento que é necessário fazer para que os próprios artesãos da cidade produzam materiais típicos. “Não podemos esquecer das nossas raízes, das nossas culturas. As pessoas estão vindo nos visitar e todas prezam por isso, por conhecer nossas cidades e nós não estamos sabendo informar a elas o que temos de melhor na nossa região. Por isso é necessário essa união de forças”, enfatizou.
Para o presidente do Sindilojas Brusque, Marcelo Gevaerd, o encontro foi muito positivo e marca uma continuidade nos trabalhos iniciados em Florianópolis, o que foi um pedido do próprio presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt. “Saímos daqui com este comitê formado, uma equipe para começar a debater e fomentar o turismo na região. É um trabalho necessário, devemos fazer pesquisas sobre o perfil do nosso turista, elencar nossos produtos turísticos, o que cada município tem e escolher um nome para a nossa região, que condiz com nossa realidade, nossas raízes, para divulgarmos e desenvolvermos nosso turismo. Toda região ganhará com isso. Temos que pensar de forma macro, unidos, porque realmente poderemos fazer algo diferente para o turista vir aqui e se sentir acolhido”, ressaltou.
Com a criação do comitê, uma próxima reunião será agendada pelo Sindilojas para o encaminhamento das ações.

Durante o encontro foi formado o Comitê de Turismo Sindilojas-Fecomércio com representantes dos municípios de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Gaspar e Nova Trento
Leia +
Julho
Encontro na Fecomércio fomenta desenvolvimento turístico em Brusque e região
26/07/2017
Com o intuito de fortalecer as relações entre a Fecomércio, SESC e SENAC e fomentar o desenvolvimento turístico da região do Vale do Itajaí, o Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Botuverá e Guabiruba, promoveu um encontro, na sede da Fecomércio em Florianópolis, na manhã desta quarta-feira, 26 de julho. O evento inédito, contou com a presença de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e empresários dos municípios de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Nova Trento, São João Batista e Gaspar, além de lideranças de entidades como CDL Brusque, OAB SC, Santur, AmpeBr, ACIBr e Brusque Jeep Clube.
O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) de Santa Catarina, Bruno Breithaupt, abriu os trabalhos enaltecendo a importância do encontro. “Temos que trazer os empresários e os políticos para dentro da Federação a fim de termos um estado melhor e cidades melhores”, ressaltou.
Na oportunidade, o presidente do Sindilojas Brusque, Marcelo Gevaerd, fez um apelo a todos para não pensarem em cada cidade de forma isolada. “No associativismo usamos a premissa de que juntos somos mais fortes e podemos ir muito mais longe e é exatamente aí que entra essa visão macro, essa visão de que podemos unir nossas cidades e trabalharmos o desenvolvimento da nossa região, afinal, não existem fronteiras que impeçam a união de ideias e de bons objetivos”.
Gevaerd também fez questão de destacar o potencial turístico de cada município, dizendo que não faltam atrativos para os moradores e turistas que os visitam. “Peço a união de toda classe política, dos empresários, para que façamos projetos em prol do desenvolvimento da nossa região. Aos prefeitos e vereadores que aqui estão, peço que vejam nos empresários do comércio e em todo Sistema Fecomércio, verdadeiros aliados na realização de projetos e leis em prol dos municípios. Vamos criar um nome para nossa região e torná-la portas abertas a quem quiser nos visitar”, complementou.
O presidente do Sindilojas Gaspar, Francisco Hostins Junior, falou rapidamente de leis que sejam favoráveis ao comércio de bens, turismo e serviços e que podem ser aprovadas nos municípios e gerar maior desenvolvimento aos empresários do setor.
Já Anderson Marchi, presidente do Sincovati, cobrou um maior comprometimento da classe política no desenvolvimento turístico da região, independente de partidos ou mandatos. “O desenvolvimento socioeconômico não acontece do dia pra noite, ultrapassa a barreira de mandatos. Não adianta só falarmos, precisamos de ações. Vocês prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, são funcionários públicos. Usem esse mandato para também plantar sementes. Sei que é um mandato curto, de quatro anos, mas os senhores serão lembrados lá na frente pelas sementes que plantaram. Queremos uma aproximação, queremos participar do projeto de desenvolvimento das cidades”.
O prefeito de Gaspar, Kleber Wan-Dall, colocou o município à disposição de futuras parcerias com as demais cidades e disse que isso é fundamental para o desenvolvimento da região.
Para o prefeito de Brusque, Jonas Oscar Paegle, o encontro foi extremamente positivo e esclarecedor. “Saio daqui com uma visão mais ampla do que a Fecomércio, SESC e SENAC representam em nosso estado e da oportunidade de ser nossa aliada. Temos um corredor turístico na nossa região e precisamos nos organizar, nos unir e trabalharmos para ideias únicas e solução de problemas em comum”.
O prefeito de Guabiruba, Matias Kohler, destacou que é necessário o entendimento de que “somos um grupo só” e demonstrou o interesse do município em ser parceiro nesse grande projeto de desenvolvimento turístico da região.
Alcir Merizio, prefeito em exercício de Botuverá, comentou que a cidade tem um potencial turístico enorme, mas precisa de parcerias. “O poder público hoje faz o que pode pelo turismo, mas não conseguimos fazer o necessário. Temos um projeto para as cavernas, que é um sonho, mas faltam recursos e estamos buscando parcerias para poder tocar nosso turismo”, comentou.

Consórcio Intermunicipal
O prefeito de Nova Trento, Gian Francesco Voltolini, lançou a ideia de um consórcio intermunicipal para alavancar o turismo na região. “Hoje não temos um diagnóstico dos turistas que visitam nossa cidade. É aí que o consórcio entra, nesse planejamento, em buscar o que temos de melhor e as melhores pessoas do estado para fazermos um plano intermunicipal de turismo, isso com a ajuda da Fecomércio, SESC e SENAC”, comentou. Na ocasião Voltolini apresentou rapidamente o projeto Vale Sagrado Catarinense, que deverá ser administrado por um Consórcio Intermunicipal. Segundo o prefeito, seis municípios (Nova Trento, São João Batista, Canelinha, Major Gercino, Angelina e Tijucas) já assinaram o Consórcio, que aguarda a assinatura do município de Brusque. Porém, o projeto poderá se estender também às cidades de Guabiruba, Botuverá e Gaspar, se houver interesse.

Anúncio de investimentos
Durante o encontro, a Fecomércio apresentou todos os trabalhos que realiza, bem como suas bandeiras e os projetos realizados pelo SESC e SENAC, em Santa Catarina.
Na capital catarinense do calçado será construído um Centro de Eventos e Escola SESC, com investimentos estimados em R$ 6,4 milhões. O projeto terá início na segunda quinzena de agosto.
Em Brusque há dois projetos em andamento: adequação do espaço que já existe nas áreas administrativa e desenvolvimento físico esportivo do SESC, sendo aproximadamente R$ 4,5 milhões em investimento; e a construção de uma nova Escola do SESC, sendo este um recurso mais robusto, estimado em R$ 25 milhões.
Já Guabiruba deverá receber uma quadra comunitária, cujo projeto e estimativa de investimento ainda estão em estudos.
Na avaliação do presidente da Fecomércio, o encontro foi muito produtivo, com perspectivas futuras de maior desenvolvimento da região. “Nós como Federação do Comércio, SESC e SENAC, temos no turismo nossa preocupação. Acredito que os municípios estão no caminho certo , mas precisam se unir. Temos que conhecer o perfil do nosso turista e aplicar estratégias para fixá-lo na região. Temos que ouvir a Santur, para tentar integrar tudo isso e darmos a nossa contribuição para desenvolver economicamente essa região. Contem com o Sistema Fecomércio”, afirmou.


Evento promovido pelo Sindilojas, reuniu prefeitos, vereadores e lideranças empresariais de seis municípios
Leia +

Vem por aí